O cortisol alto pode originar sinais e sintomas como, perda de massa muscular e aumento do peso

Atualmente, o mundo se encontra mergulhado na pandemia, ocasionada pelo novo coronavírus. Logo, essa situação imprevisível, de duração indeterminada, demanda cuidados que envolvem uma experiência inédita em larga escala para a imensa maioria da sociedade.



Nessa fase de isolamento, é muito comum que as pessoas apresentem sintomas de estresse. Isso ocorre devido a uma súbita mudança na sua rotina de vida, na avalanche de informações e notícias. Logo, esse excesso de informações e demanda por cuidados, termina por gerar pânico nas pessoas, levando-as a aumentar de forma exacerbada o nível de estresse. Assim, consequentemente, aumenta o nível de cortisol no organismo, o que pode comprometer nossa imunidade e nos levar ao adoecimento.

Segundo a psicóloga Samya Régia (CRP 11/11131) “se o nível de estresse estiver muito alterado, ele gera inúmeros danos à nossa saúde”. Portanto, o cortisol provoca reações físicas e emocionais ao nosso organismo. Em doses moderadas, é benéfico à saúde porque funciona como sinal de alerta e prepara nosso organismo para reagir a uma nova situação.

Leia mais: Meditação: 7 dicas de como meditar durante o isolamento social para iniciantes


o cortisol adapta o corpo humano ao estresse e permite com que ele responda de forma bem sucedida a qualquer situação que provoque ameaça a sua integridade. (Foto: Reprodução/ Longevidade Saudável)


Cortisol alto: o que acontece

 O cortisol alto pode originar sinais e sintomas como:

  • Perda de massa muscular;
  • Aumento do peso;
  • Aumento das chances de osteoporose;
  • Dificuldade na aprendizagem;
  • Baixo crescimento;
  • Diminuição da testosterona;
  • Lapsos de memória;
  • Aumento da sede e da frequência em urinar;
  • Diminuição do apetite sexual;
  • Menstruação irregular.

Dessa forma, existem algumas atitudes que podemos tomar para diminuir os níveis de cortisol no organismo. Para isso, precisamos sair da zona de conforto e estabelecer uma nova rotina de vida. A psicóloga Samya Régia fala sobre o que podemos mudar em nossa rotina para controlar o estresse:

Cinco dicas para controlar o estresse durante a pandemia

Durma bem -antes de tudo isso aumenta nosso sistema imunológico e melhora o humor.

Faça exercícios físicos – Ele aumenta os níveis de endorfina (hormônio) que promove a sensação de bem estar, relaxamento e é capaz de regular as emoções.

Consuma alimentos saudáveis – As frutas, verduras e legumes, ajudam a fortalecer nosso sistema imunológico, manter o peso e são fontes de vitaminas e minerais. Em suma é o que mantém nosso organismo funcionando perfeitamente.

Pratique o autocuidado – Tire um tempo só para você.  Faça o que gosta: leia ou assista a um filme, cozinhe sua comida preferida, escute música, dance, tome um banho demorado, relaxe. Diante disso, cuide de você! E mantenha o pensamento positivo.

Desenvolva a respiração diafragmática – Isso pode parecer um pouco estranho, visto que a respiração é um ato involuntário e inconsciente. Mas, estou falando aqui de respiração profunda, consciente, onde, você inspira pelo nariz e expira pela boca, de forma lenta, levando a respiração para o diafragma. Dessa forma, os inúmeros benefícios dessa respiração, dentre eles podemos citar o aumento da função pulmonar. Além disso, a estabilização do sistema nervoso autônomo, diminuição da pressão arterial e nos leva ao relaxamento, o que em muito contribui para o bem-estar e a qualidade de vida.

Exercite a gratidão e mantenha o otimismo – Por último mesmo diante das circunstâncias da vida. As pessoas que praticam a gratidão apresentam mais entusiasmo pela vida, têm mais energia e são mais otimistas. Isto porque, quando somos gratos, o cérebro libera dopamina – neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar, humor e prazer. Portanto, quanto maior a liberação de dopamina, mais feliz você vai se sentir.

Por: Jesus Henrique

(Foto Destaque: O cortisol é um hormônio produzido pelas glândulas suprarrenais. Reprodução/Uol)

Related Article

0 Comentários

Deixe um comentário