A animação “A caminho da Lua” é um projeto de Glen Keane, experiente animador da Disney

Após o sucesso de Claus e Perdi Meu Corpo, ambas animações de 2019 que concorreram ao Oscar. A Netflix divulgou o primeiro trailer da sua mais nova animação, intitulada “A Caminho da Lua”, que parece ter um futuro promissor. O longa tem a direção de Glen Keane, experiente animador da Disney, vencedor do Oscar de melhor animação por Dear Basketballe responsável por filmes como A Pequena Sereia e “A Bela e a Fera. Esse será seu primeiro projeto fora da Disney.



Já a trilha sonora ficou a cargo do grande Steven Price, vencedor do Oscar pela trilha deGravidade. Além disso, a produção ficou nas mãos de Gennie Rim e Peilin Chou. responsáveis por grandes filmes, comoAbominávele O Ódio Que Você Semeia.

Com o roteiro de Audrey Well, o elenco de dubladores traz a atriz Cathy Ang no papel da protagonista, além de nomes como Sandra OhJohn ChoPhillipa Soo e Ken Jeong. “A Caminho da Lua” é uma divertida aventura musical que revela o poder da imaginação e mostra a importância de seguir em frente diante do inesperado. Além disso, o filme foi realizado em parceria com a Pearl Studio.

Confira abaixo o trailer da animação:


(Trailer do filme: Netflix Brasil/ You Tube)


Leia mais: Emmy Awards 2020: Watchmen e muito mais minisséries

A Caminho da Lua ainda não tem previsão de estreia. Mas tudo indica que chegará a plataforma de Streaming no segundo semestre deste ano.

Animação para toda família

A trama do longa narra as aventuras da jovem Fei Fei, uma garota determinada e apaixonada por ciência. Que vive em sua jornada para construir um foguete e, assim, poder ir à Lua. Com o intuito de  provar a existência da lendária deusa Chang’e, que mora no lado sombrio da Lua, e aguarda pelo chegada de seu amor verdadeiro. Como resultado, ela passa a estudar e criar uma espaçonave para chegar até lá. Mas ao chegar, acaba assumindo uma missão e descobre uma região habitada por criaturas fantásticas.

São muitas as histórias da entidade que inspirou o longa. Uma das mais populares conta que ela recebeu do seu amado, o guerreiro Houyi, um elixir que garantiria sua imortalidade. Ele não queria bebê-lo, porque isso significaria eventualmente levar uma vida sem Chang’e.  Então, se limitou a entregá-lo à deusa para que ela o protegesse. Certo dia, porém, um homem tentou roubá-lo e, para garantir que o ladrão jamais colocaria suas mãos no elixir, Chang’e o tomou e se exilou na Lua, torcendo para que um dia pudesse se reencontrar com seu amor.


Cena do filme “A caminho da lua. (Foto: Reprodução/ Netflix)


No entanto, a lenda representa muito mais do que apenas um conto fascinante para a pequena Fei Fei. Em alguma momento, a história de Chang’e e Houyi se mistura com o romance dos seus próprios pais, que também eram perdidamente apaixonados até a morte repentina da mãe de Fei Fei que mudou suas trajetórias.

Por isso, quando o pai anuncia, anos depois, que pretende se casar novamente, a garota sente seu mundo ruindo de novo. A ideia de ir para a Lua atrás de Chang’e parece ser a única maneira possível de provar para o pai que, sim, o amor é eterno e, assim, talvez “salvar” sua família.

A arte imita a vida

Aqui no Brasil essa figura mítica é muito pouco conhecida, mas é muito famosa na China. “Lá ela é maior que o Papai Noel”, afirmou a produtora Peilin Chou em entrevista ao site Omelete. Disse ainda que assim como Fei Fei, também adorava a deusa quando pequena.

O paralelo entre o mito e a vida de Fei Fei por si só já é bastante interessante. Com tudo, o filme, de certa forma, ainda é uma metáfora para história da sua roteirista, Audrey Wells. Que topou entrar no projeto quando já estava severamente doente.

Wells tinha pouco tempo de vida, fato que só dividiu com sua equipe quando o projeto já estava em desenvolvimento há um ano. “Ela realmente queria deixar esse filme como uma carta de amor para sua filha e seu marido, para falar sobre o que acontece quando alguém morre e como o amor dura para sempre”. A roteirista faleceu em 2018, mas chegou a assistir à primeira versão deA Caminho da Lua”, esclareceu Chou na entrevista.


Cena do filme “A caminho da lua. (Foto: Reprodução/ Netflix)


Para o diretor Glen Keane, a lição por detrás de “A Caminho da Lua” é abrace as mudanças, uma ideia fundamental para qualquer projeto, mas sobretudo em um momento de pandemia como o atual, que obriga todo mundo a repensar métodos e ideias, inclusive a equipe deste filme. No entanto, isso também faz parte do próprio processo criativo de Keane quando vai criar suas personagens.

“Tenho essa crença estranha que, quando você está criando um personagem, eles já existem antes mesmo de você começar a desenhá-lo”, contou o animador, enquanto desenhava sua protagonista para os jornalistas em um evento virtual. 

Por: Jonathan Rosa

(Foto Destaque: Cena da animação A caminho da Lua. Reprodução/Netflix Brasil)

Related Article

0 Comentários

Deixe um comentário