Adriane Galisteu fica loira e fala sobre sua carreira e temas, como feminismo, redes sociais e relacionamento abusivo

Adriane Galisteu passou por mais uma transformação e ficou mais loira. O processo levou quase oito horas. “Eu estou enloirando cada vez um pouco mais, acho que esse tom de cabelo de sol queimado super combina com o verão que está chegando. Estou super feliz e adorei o resultado”, contou a atriz e apresentadora.



Adriane Galisteu, loira, depois de oito horas no salão.  Reprodução Instagram


O hairstylist Kelvelin, embaixador da Truss no Brasil, foi o responsável pela mudança. “Para mim, foi um desafio muito grande e, ao mesmo tempo, um presente porque ela está voltando a ser loira comigo, pelas minhas mãos”, afirmou o profissional.

Galisteu, famosa por seus cabelos loiros, tingiu em uma tonalidade de castanho escuro no ano passado para participar da novela O Tempo Não Para, da TV Globo, em que interpretava Zelda, uma estilista falida e de caráter duvidoso. A volta da apresentadora ao visual loiro acontece de maneira gradual.

Leia mais: Galisteu tenta nova inseminação e não dá certo: “Vou tentar até o fim do ano”

Adriane Galisteu fala sobre TV, maturidade e maternidade

Trabalhando na TV há quase 30 anos, deu entrevista a Marie Claire relembrando sua estreia como atriz, o sonho de trabalhar como apresentadora e como superou um relacionamento abusivo.

Adriane Galisteu e o filho Vittorio. Reprodução Instagram


“Sempre soube que ia trabalharia na televisão. Lembro que, quando era pequena, pegava uma escovinha de cabelo e fingia que estava entrevistando meus familiares”.

“Estou achando uma merd* [envelhecer]. É verdade, não é uma delícia. Queria pular essa etapa da vida, mas é o que tem para hoje. O que dá mais trabalho, no meu caso, é que eu gosto de me ver magra, tomar sol, usar pouca maquiagem na pele, ainda não fiz tratamento evasivo na pele… Agora, tenho que comer metade, correr em dobro. É uma obrigação que eu mesma coloquei”.

“Sempre quis ter uma família estruturada. Conheço o Ale [seu marido, o empresário Alexandre Iódice] há mais de 20 anos, sendo que estamos há dez juntos: um ano como namorados e mais nove casados. Não sei se tem segredo para um relacionamento duradouro no show business. Acredito que para a relação ser saudável, você precisa querer estar com a pessoa e não precisar estar com ela. Além de três pilares importante: admiração, lealdade e amor”. 

“Quero muito ter outro filho, continuo tentando. O Vittorio, que está com nove anos, quer um irmão. Para o Ale está bom apenas um filho. Mas eu quero, sim”. 

“O Vittorio está em uma fase que quer ser jogador de futebol. Sempre falo que ele precisa gostar bastante do que faz e se dedicar muito. Não é fácil ser jogador no Brasil, muitas crianças têm esse sonho. Precisa se preparar, fazer mais gols que os outros…”. 

Redes sociais, feminismo e relacionamento abusivo

“Nunca apaguei nenhuma foto postada no Instagram. Nem mesmo no começo do aplicativo em que as imagens não tinham muito qualidade. Para mim, é como um álbum da minha vida, contando os momentos. Já tive várias fases: já discuti com haters, já bloqueei. Hoje eu ignoro, até porque minha vida é muito corrida para ficar de olho no que acontece por lá. Normalmente, acordo às 6h e não paro um minuto”. 

“Esta palavra está sendo colocada de um jeito estranho, que até causa arrepio em algumas pessoas. Mas se você for ver o que é se empoderar, empoderar uma mulher, vai ver que não tem motivo para esse arrepio. A gente já conquistou bastante coisa, vejo que o tempo é outro. Por exemplo, na minha época mulher não era amiga de mulher. Falavam que apenas os homens eram unidos. Eu tenho poucas amigas mulheres, só que agora, você vê uma união, de até mesmo de mulheres que não se conhecem comprando o barulho de outra”.

“Nunca passei por uma situação de assédio, mas já tive que lidar com um relacionamento abusivo, sim. Nunca cheguei a apanhar, só que o namoro foi muito abusivo, doentio. Por isso indico que as pessoas façam terapia porque você não percebe que está em um. As pessoas começam a se afastar, sua turma acha estranho, mas você até gosta quando isso acontece, pois aí você fica só com ele. Acabei brigando até com a minha mãe… Quando a sua ficha cai, acha que não vai conseguir viver sem aquele homem. Por isso é importante ter alguém para conversar, principalmente se for uma mulher, que costuma acolher melhor”. 

Por Brunna Feitosa

 

Related Article

0 Comentários

Deixe um comentário