A apresentadora se identificou com a luta de crianças diagnosticadas com a doença

Na manhã deste sábado (6), a apresentadora Ana Furtado (45), se emocionou durante o programa “É De Casa”, da TV Globo. Isso porque foi transmitida uma matéria mostrando o trabalho de voluntários que recreavam crianças com câncer durante a pandemia de Covid-19.



O repórter Manoel Soares visitou o Centro de Oncologia Infantil em São Paulo para conversar com os responsáveis por levar alegria às crianças. Logo após o término da matéria, Manoel Soares disse à Ana Furtado, “depois de ver tudo isso, o seu coração deve estar ‘tum tum tum tum tum’, Aninha”.

Em seguida, a apresentadora respondeu o jornalista relembrando que a doença é desafiadora. “Não tenho nem palavras. Fiquei bastante emocionada, Manoel, com a sua entrada agora. Eu conheço muito bem essa doença e sei como ela é. É desafiadora”.

Decerto, a apresentadora entende a dor e luta de pessoas diagnosticadas com câncer. (Foto:Reprodução/Gshow)


Posteriormente, Ana Furtado ressaltou o apoio da presença da família e de trabalhos como este. “É muito importante que a gente tenha apoio, da nossa família, dos nossos médicos, e o apoio do voluntário. É essencial”.

Além disso, Ana falou um pouco sobre o trabalho que realiza no Inca (Instituto Nacional de Câncer). “Há muitos anos eu faço trabalho aqui no Rio de Janeiro no Inca e eu me dedico ao centro de pediatria. Essas crianças são lindas, e que tem uma esperança de viver um futuro maravilhoso, elas sonham”.

Ademais, a apresentadora do “É De Casa” agradeceu aos voluntários que se dedicam à atividades como esta. “Quero agradecer a todos os voluntários que se dedicam a quem precisa, e nesse caso específico aos pacientes oncológicos. É um trabalho muito bonito, essencial, fundamental”.

Ana Furtado iniciou uma luta contra o câncer e venceu

Sobretudo, a apresentadora contou com o apoio do marido, Boninho. (Foto:Reprodução/Instagram)


A apresentadora Ana Furtado descobriu que estava com câncer de mama no ano de 2018. Posteriormente, em setembro do ano passado, Ana falou abertamente pela primeira vez sobre a sua luta contra a doença. Para isso, a apresentadora da Globo participou do 6° Congresso Todos Juntos Contra o Câncer.

Ana Furtado contou que, quando recebeu o diagnóstico da doença, não sabia do que se tratava e foi buscar informações no Google. “Eu fiquei em choque, eu não sabia direito o que era, eu consultei o Google. O que é carcinoma? O que é isso que eu tenho que certamente não me pertence?”.

Leia mais: Glória Maria volta a apresentar o Globo Repórter

No entanto, a apresentadora disse que não se desesperou após receber o diagnóstico e que entendeu novos propósitos para sua vida. “Entendi que o câncer é uma ameaça, mas não é o fim, é o começo. O câncer não é o vilão, mas pode ser e é um grande professor. O câncer não é seu inimigo, mas pode ser seu principal agente transformador”, completou.

Em entrevista à revista “Ela”, Ana disse que o seu marido, Boninho, deu apoio durante o tratamento e não a deixava ficar desanimada. “Quando eu perdoa cabelo, ele imediatamente transformava o momento em algo positivo e me elogiava. Não me sentia desamparada, e isso não é a realidade de muitas mulheres”. Além disso, Ana contou que buscou ajuda psicológica para enfrentar a batalha.

Ana Furtado falou sobre a importância de uma dia para falar sobre o câncer

Ana ressaltou a importância de fazer visitas constantes ao médico. (Foto: Reprodução/Instagram)


Por meio de uma publicação no Instagram, Ana Furtado falou sobre a importância do Dia Mundial do Câncer, que acontece em 4 de maio. No post, Ana compartilhou uma foto para relembrar a época da sua luta. A apresentadora aparece o lado da filha e da mãe.

“Essa foto foi tirada no dia 14 de dezembro de 2018, dia da minha última sessão de radioterapia, meu último dia de tratamento. Ela representa tanto pra mim.. E hoje compartilho essa lembrança por uma razão especial. Hoje, dia 4 de fevereiro, é o #DiaMundialDoCâncer”, escreveu.

Por fim, Ana disse que é preciso entender que virão dias de dor, choro e medo, mas que, “independentemente do dia, busque vivê-lo intensamente. Busque contemplar a vida como ela merece ser contemplada. Apreciar cada detalhe. Ressignificar sua existência e valorizá-la. Porque nessa vida (a única que temos!) nenhum medo pode ser maior que a nossa alegria e vontade de viver!”.

Por: Adelmo Júnior

Imagem em destaque (Foto:Reprodução/Instagram)

Related Article

0 Comentários

Deixe um comentário