A Obra “O Auto da Compadecida” foi exibida uma única vez em 1999. Sendo inspirada no texto teatral do dramaturgo paraibano Ariano Suassuna.

Mesmo após 20 anos de sua estreia, O Auto da Compadecida ainda é a minissérie mais assistida da Rede Globo. O enredo narra as aventuras dos nordestinos João Grilo (Matheus Nachtergaele), um sertanejo pobre e mentiroso, e Chicó (Selton Mello), o mais covarde dos homens. As desventuras dos dois amigos acontecem em um nordeste severo, mas bem-humorado. Onde dividem a fé e a paixão descabida com a superstição e o cangaço.


Auto da Compadecida (Fonte/Reprodução: Instagram)

João Grilo e Chicó (Fonte/Reprodução: Instagram)


Ambos buscam conquistar o pão de cada dia, e assim conseguem enganar a todos, em um pequeno vilarejo de Taperoá, sertão da Paraíba. Entretanto seus planos se complica quando eles encontram o impiedoso cangaceiro Severino de Aracaju (Marco Nanini).

Leia sobre: Sabrina Sato volta como rainha da Vila Isabel no primeiro ensaio do ano

Para o diretor Guel Arraes são grandes os pontos positivos ao trazer a série de volta neste momento. Pois além do valor artístico atemporal da obra, a mesma traz atona um Brasil real. Que hoje está oprimido pelo Brasil oficial, como dizia Suassuna, citando Machado de Assis.

Auto da compadecida, de Ariano Suassuna (Fonte/Reprodução: Instagram)

Autor da obra, Ariano Suassuna (Fonte/Reprodução: Instagram)


“Não é uma comédia regional comum, é uma comédia que transcende a região e é muito engraçada, evidentemente.” Comentou Arraes em entrevista a Folha e ao UOL. “É muito doido fazer de novo 20 anos depois, é um negócio que não termina.” Disse ainda.

A série contará com 4 episódios de 45 minutos cada, chegando a 3 horas no seu total. Os mesmos voltarão remasterizados e algumas cenas irão receber uma nova identidade visual.

“Não sei, só sei que foi assim.” Com certeza essa marcante frase do personagem de Selton Mello voltará a ser ouvida novamente pelos brasileiros.

Por Ceiça Santos

0 Comentários

Deixe um comentário