China apresenta um aumento de infectados por coronavírus

China tem novo surto de covid-19, o primeiro em quase dois meses em Pequim. Assim, o país segue com medo, pois teve um aumento nos casos de infecção por coronavírus. Entre os infectados, seis deles estão relacionados, direta ou indiretamente, com o mercado atacadista de produtos agrícolas e carne da capital, Xinfadi.



O mercado foi fechado temporariamente no sábado (13), após a confirmação dessa conexão. Logo depois, foram detectados outros 45 casos assintomáticos entre os trabalhadores do mercado, até o fechamento desta matéria.

Logo após, o Xinfadi, no distrito de Fengtai, no sul da capital chinesa, amanheceu completamente cercado pela polícia no sábado (13). Por este surto, outros cinco mercados menores também suspenderam suas atividades, por precaução.

Leia mais: O uso da cloroquina em assintomáticos

Com uma área de 210.000 metros quadrados construídos, no Xinfadi, trabalham diariamente mais de 10.000 pessoas; entre funcionários do mercado, proprietários e ajudantes das barracas. Cerca de 90% do vegetais e outros produtos que abastecem Pequim, saem deste comércio.


China

Surto de coronavírus no mercado atacadista em Xinfadi. (Foto: Reprodução/ Tingshu/ Reuters)


Contudo, outras medidas de precaução foram tomadas. As aulas presenciais que voltariam para crianças de seis a oito anos, foram suspensas. Além disso, fecharam nove escolas nas proximidades do mercado, e confinados moradores de 11 conjuntos residências que ficam nesta área, ou que convivem com algum infectado.

Medidas tomadas pela Comissão Municipal de Saúde

“Após um exame preliminar, foi constatado que (seis) novos casos foram expostos ao contágio dentro do mercado ou estiveram em contato com pessoas contagiadas no local. Mas, não está descartada a possibilidade de que surjam mais casos no futuro”; relacionados ao mercado, afirmou Pang Xinghuo, do Centro de Controle e Prevenção de Doenças em Pequim, em entrevista coletiva neste sábado

Todos os afetados foram colocados em quarentena. Conquanto, as autoridades de saúde estão tentando rastrear seus passos para localizar todos os seus contatos, acrescentou Pang.

O porta-voz da Comissão Municipal de Saúde, Gao Xiaojun, disse que o planejamento é fazer testes em todos que foram ao mercado desde 30 de maio. Pequim possui capacidade para fazer até 90.000 testes por dia.

O coronavírus foi detectado em uma tábua para cortar salmão importado, em amostras colhidas do mercado. Entretanto, até o momento não está comprovado que a fonte foi o lote desse peixe. Ainda é inconclusivo se a contaminação ocorreu em algum momento do processamento, ou entre os trabalhadores que estavam contagiados e tocou na tábua.

Como medidas de prevenção, os mercados de Pequim e de outras cidades chinesas, recolheram o salmão que havia disponível.

Este acontecimento lembra o início do primeiro foco da pandemia, quando vários casos ocorreram na cidade de Wuhan, e estavam relacionados a carne de animais selvagens.

Pois, a primeira infeçcão teria ocorrido no mercado de frutos do mar, da cidade Huanan. Portanto, o contágio teria acontecido depois de clientes e trabalhadores ter contado com o mercado.

Por: Nicolly Verly

(Foto destaque: Atividades nos mercados em Xinfadi são interrompidas. Reprodução/ Xinhua/ Ren Chao)

Related Article

0 Comentários

Deixe um comentário