Medicamento eficaz para o tratamento da Covid-19 e suspensão dos testes clínicos utilizando a cloroquina foram alguns dos principais destaques da semana

Nesta quarta-feira (17), a Organização Mundial da Saúde afirmou que a curva de contágio pelo coronavírus no Brasil se estabilizou. Uma vez que, o registro de novos casos diários decresceu. “Há alguns indícios de que a situação se estabilizou, mas temos visto em outros países que, após certa estabilização, os casos podem aumentar outra vez”, alertou o diretor de Emergências Sanitárias da entidade, Mike Ryan. Desse modo, não é possível afirmar que o país chegou ao pico da pandemia. A situação do Brasil ainda é “bastante grave”.



Então, medidas sanitárias como: uso de máscara, distanciamento social e a higienização frequente das mãos devem ser mantidas. Durante essa semana, o número total de casos chegou à marca de 1 milhão. Diante disso, neste sábado (16), o quadro epidemiológico da Covid-19 registrava 1.067.579 casos. O quantitativo de vidas perdidas para o Sars-Cov-2 se manteve acima das mil desde a terça-feira (16). E neste sábado (20) não foi diferente, 1.022 óbitos foram contabilizados, elevando o total para 49.976.


coronavírus

Últimas atualizações sobre os casos de coronavírus (Foto: Reprodução/JotaInfo)


Obs: Uma vez que, agora, o Ministério da Saúde divulga a tabela com a situação epidemiológica apenas para a imprensa. A fonte secundária que recebe essas informações é a página ‘JotaInfo’, no twitter.

OMS suspende novamente os estudos com a cloroquina e hidroxicloroquina

Nesta quarta-feira (17), a Organização Mundial da Saúde anunciou a paralisação dos testes com a hidroxicloroquina e com a cloroquina. A decisão foi baseada nos ensaios Solidariedade, iniciativa responsável por pesquisar um tratamento para a Covid-19. Não só assim, também foi tomada levando em conta o ensaio ‘Recovery’, realizado no Reino Unido. Assim, de acordo com a OMS, os medicamentos não reduzem a mortalidade dos pacientes com o coronavírus.

Leia mais: Junho Vermelho: campanha incentiva a doação de sangue

Essa é a segunda interrupção das pesquisas com os remédios, a fim de saber se são eficazes para tratar os infectados pelo Sars-Cov-2. Dessa maneira, a primeira suspensão ocorreu no último dia 25, por causa de um estudo publicado pela revista ‘The Lancet’. Este, mostrava que utilizar a cloroquina aumentava a mortalidade dos participantes e causava arritmia. No entanto, os autores se retratam, deixando de corroborar com os resultados do estudo. Posteriormente, no dia 3 de junho retomaram os testes clínicos, interrompidos novamente agora.

Pesquisa mostra a eficácia de um corticoide no tratamento de infectados pelo coronavírus

Análises realizadas pela Universidade de Oxford trazem uma nova esperança para os pacientes da Covid-19. Nesta terça-feira (16), os pesquisadores divulgaram que a dexametasona é capaz de tratar os casos graves. Sendo assim, a pesquisa britânica mostrou uma redução significativa na taxa de mortalidade entre pessoas entubadas e entre aquelas que precisavam apenas de oxigênio. Entretanto, o medicamento não teve eficácia em casos leves, nem como prevenção contra o Sars-Cov-2.


coronavírus

Hospitais brasileiros adotam a dexametasona para tratar casos graves (Foto: Reprodução/Denny Cesare/ Agência Estado)


Por isso, o endocrinologista dr. Carlos Eduardo Barra Couri fez um alerta a população, numa entrevista concedida a revista Veja.“Nem pense ir à farmácia para comprar dexametasona ou outro corticoide sem indicação médica e pensando em evitar ou controlar em casa um eventual caso de Covid-19”. Vale salientar que é preciso sempre a orientação médica e a automedicação nunca deve ser feita. Ademais, apontou os efeitos colaterais causados por doses elevadas e pelo uso prologando da substância. Sendo eles: ganho de peso, pressão alta, diabetes, osteoporose e até infertilidade.

Nova Zelândia e China voltam a registrar casos de coronavírus

Passados 25 dias sem notificação de casos relacionados ao Sars-Cov-2, nesta terça-feira (16), a Nova Zelândia registrou 2 novos casos. Segundo o Jornal Daily Mail, as mulheres contaminadas moram no Reino Unido e foram ao país participar dos rituais de luto de um parente. Medidas restritivas como o distanciamento social e o limite de pessoas em locais públicos foram suspensas na semana passada. Na segunda-feira (15), a primeira-ministra Jacinda Ardern, deixou claro que o arquipélago do Pacífico Sul poderia vir a ter casos no futuro.

Na China, desde o último dia 12, centenas de cidadãos já foram contaminadas pelo coronavírus. O foco do ressurgimento foi na sua capital, Pequim. A transmissão já havia sido amenizada há quase dois meses. Com isso, até esta segunda-feira (15), a China registrava 177 pessoas acometidas pela Covid-19. Diante disso, a constatação de novos casos nesses países depois de um período considerável, revela que a Covid-19 veio para ficar.

Leia mais: #FatoOuFake: Voltamos a falar de Coronavírus

Desse modo, conforme o portal UOL, a doença se tornará endêmica, assim como os vírus causadores da gripe e da dengue. Uma doença endêmica é caracterizada por se manifestar de maneira mais frequente em um dado período do ano. Mas apesar disso, o agente causador delas continua circulando numa frequência menor durante o ano inteiro.

Estados Unidos revogam autorização para uso emergencial da cloroquina e da hidroxicloroquina

A FDA, agência dos Estados Unidos que regulamenta o uso de alimentos e de drogas, proibiu o tratamento com a cloroquina. O medicamento vinha sendo utilizado em pacientes graves e internados em hospitais devido ao coronavírus. Segundo o G1, a agência acredita que a hidroxicloroquina não combate o vírus. E mais, as diretrizes médicas dos Estados Unidos não recomendam o tratamento com a hidroxicloquina e com a cloroquina. Além disso, levaram em consideração uma pesquisa publicada na revista científica ‘The New England Journal of Medicine’. Ela mostrou que não há diferença e eficiência no uso (das substâncias) contra o Sars CoV-2”.

Por: Lourice Rocha

(Foto destaque: Principais notícias da semana sobre a Covid-19 .Reprodução/Freepik)

Related Article

0 Comentários

Deixe um comentário