Brasil e Universidade de Oxford fechando parceria para a produção da vacina contra a Covid-19 e depósito da terceira parcela do auxílio emergencial foram alguns dos principais destaques da semana

A América Latina ultrapassou a triste marca de 100 mil mortos por causa do coronavírus durante esta semana, diz OMS. Sendo assim, dados apresentados pela Universidade norte-americana Johns Hopkins mostram que o número de casos da Covid-19 no mundo já passou dos 10 milhões. Não apenas isso, o levantamento também aponta o Brasil como o país com o maior quantitativo de recuperados da doença.



Essa liderança do Brasil é causada pela grande quantidade de pessoas infectadas pelo vírus. Tanto que, o país perde apenas para os Estados Unidos em números absolutos de casos positivos e em número de óbitos, ocupando o 2º lugar no ranking da Universidade norte-americana. Neste domingo (28), somados os 30.476  casos confirmados em 24 horas, o Brasil alcançou um total de 1.344.143. Além disso, foram contabilizadas 552 vítimas do vírus nas últimas 24 horas.

É sempre importante lembrar que, embora muitos estados estejam flexibilizando a quarentena, se for possível “fique em casa!”. Quando for sair, sempre quando for algo muito importante, use máscara, álcool em gel e mantenha o distanciamento. E mais, o coronavírus é transmitido por contato, logo, não leve a sua mão no rosto e não pegue em nada sem higienizar as mãos antes e depois. Em tempos de Covid-19, lavar as mãos de maneira adequada pode sim salvar a sua vida.


Últimas atualizações sobre os casos de coronavírus (Foto: Reprodução/JotaInfo)


Obs: Uma vez que, agora, o Ministério da Saúde divulga a tabela com a situação epidemiológica apenas para a imprensa. A fonte secundária que recebe essas informações é a página ‘JotaInfo’, no twitter.

Brasil fecha acordo para a produção da vacina de Oxford contra o coronavírus

Neste sábado (27), o Ministério da Saúde anunciou mais uma parceria com a Universidade inglesa de Oxford. Sendo assim, o Brasil participará não só das pesquisas, mas também da produção nacional da vacina, desenvolvida por Oxford juntamente com a farmacêutica AstraZeneca. Consta no acordo não só a transferência da tecnologia de produção, como também a compra de lotes do imunizante. Desse modo, caso a eficácia seja comprovada, cerca de 30,4 milhões de doses serão entregues em dois momentos.

Leia mais: Covid-19: estudo confirma que corpo humano não cria imunidade contra vírus

Por isso, uma metade (15,2 milhões) desse total será entregue em dezembro de 2020 e a outra metade em janeiro do ano seguinte. As doses priorizarão pessoas do grupo de risco para o coronavírus e os profissionais de saúde. E mais, nacionalmente, serão fabricadas pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), com a tecnologia estrangeira. Segundo a OMS, essa é melhor candidata entre as mais de 200 vacinas em desenvolvimento contra a Covid-19. Uma vez que, está evoluindo mais rapidamente, sendo a mais adiantada de todas. Para mais, o produto começou a ser testado no último sábado (20) em profissionais de saúde no estado de São Paulo.

Últimas informações sobre o auxílio emergencial

Anunciada pelo ministro da economia, Paulo Guedes, nesta quinta-feira(25), a 3º parcela do auxílio emergencial começou a ser paga neste sábado (27). O calendário de depósito do benefício continua respeitando o mês de nascimento dos beneficiários. Dessa maneira, será realizado do dia 27 – abrangendo beneficiários de janeiro e fevereiro – até o próximo dia 4, finalizando com novembro e dezembro. Vale salientar que nesse primeiro momento apenas será possível pagar contas, boletos e fazer compras através do cartão virtual.


coronavírus

Calendário para os registrados pelo site e aplicativo e para os que estão no CadÚnico (Foto: Reprodução/Economia G1)


O saque e a transferência têm um calendário específico. Com isso, podem ser feitos a partir do próximo dia 18 e se estendem até o dia 19 de setembro. Assim como a data dos depósitos, também estão em conformidade com o mês de nascimento. Essas regras valem para os inscritos pelo site e pelo aplicativo e para os participantes do CadÚnico, que receberam a 1º parcela até do dia 30 de abril.

Não só para eles, mas para aqueles que nessas mesmas condições receberam a 1º parcela entre os dias 16 e 19 de maio. E ainda, para os que até o momento não receberam nenhuma parcela. Ademais, os beneficiários do Bolsa Família possuem regras de recebimento e depósitos diferentes. Assim, o saque da 3º parcela leva em consideração o último número do NIS (Número de Identificação Social). Pessoas com o NIS terminado em 1 podem retirar o benefício desde a última quarta (17). Os saques seguem até o dia 30 de junho.


Calendário para o beneficiários do Bolsa Família (Foto: Reprodução/ Ministério da Cidadania/ Portal UOL)


Interiorização do coronavírus

O Brasil já estava registrando casos da Covid-19 no interior de muitos estados. No entanto, conforme o G1, a propagação do vírus tomou uma proporção sem igual a partir da flexibilização das atividades. Sendo assim, o portal UOL fez uma análise dos casos nos 26 estados, num período de 30 dias (de 19 de maio a 18 de junho). O resultado foi preocupante, mostrando que 2 em cada 3 casos confirmados são no interior. Então, o percentual de aumento chegou a 340% durante os 30 dias, saltou de 133.334 para 587.736 casos positivos.

Segundo o médico sanitarista Gonzalo Vecina Neto, a movimentação de pessoas permite a disseminação do vírus. “(O coronavírus) vai para o interior com os caminhoneiros, vai para o interior com os caras que vêm comprar coisas na grande cidade para revender no interior, sacoleiras e pelo comércio. É o caminho”. Posto isto, em conformidade com o portal UOL, 21 dos 26 estados analisados já apresentam pessoas com o diagnóstico positivo para a Covid-19. Os únicos estados, até o dia 18 de junho, com o número de infectados  maior na capital do que no interior foram: Acre, Bahia, Rio de Janeiro, Rondônia e Roraima.

Leia mais: #FatoOuFake: Voltamos a falar de coronavírus

Nesta segunda-feira (22), já havia fila para ocupar leitos de UTI em Sorocaba, localizada no interior de São Paulo. Afirmação feita por Fernando Brum, diretor do comitê de combate ao coronavírus na cidade. Assim também ocorreu em algumas cidades do Mato Grosso. No município de Cárceres, por exemplo, o prefeito Francis Maris (PSDB) relatou que os hospitais estavam lotados e as UTI’s sem vaga. E ainda, no Ceará muitos doentes são transferidos para a capital, já que, com essa interiorização do Sars-Cov-2, as cidades com menos capacidade de atendimento são atingidas.

Avanço rápido do coronavírus faz estados prorrogar reabertura

Nesta terça-feira (23), o estado nordestino de Alagoas prorrogou as medidas de isolamento e distanciamento social até o final do mês. Isso porque houve um aumento de 22% dos casos da Covid-19 em 22 dias e a taxa de ocupação dos leitos de UTI chegou em 80%. Em Sergipe a situação não é muito diferente, a reabertura do comércio também foi adiada. Visto que, o número de casos e mortes aumentou consideravelmente. Diante disso, o baixo índice de isolamento social também motivou a decisão, pois o estado é um dos sete piores, com uma taxa de 36,5%.


coronavírus

Reabertura do comércio provoca aceleração da propagação de coronavírus (Foto: Reprodução/G1)


Lembrando que o ideal para achatar a curva de crescimento da Covid-19 é de 70%, diz a OMS. Para além desses estados, Natal, capital do Rio Grande do Norte, também protelou o relaxamento da quarentena. Até esta segunda-feira (22), não havia leitos de UTI disponíveis, há pelo menos 20 dias, ou seja, a taxa de ocupação estava em 100%. No entanto, a fila diminuiu, mas ainda assim não existiam vagas. Neste sábado (27), a porcentagem sofreu uma leve queda, chegando em 95,4%, de acordo com Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap).

Além disso, outras capitais brasileiras deram um passo atrás na retomada gradativa das atividades. Em Porto Alegre, devido ao crescimento da quantidade de pessoas infectadas pelo Sars-Cov-2 e por causa da grande ocupação das UTI’s, a prefeitura recuou. Por conseguinte, nesta segunda-feira (22), mandou fechar bares, restaurantes e shoppings.  O comércio estava aberto desde o início de maio. Já em Florianópolis a decisão foi apresentada nesta quarta-feira (24). Com isso, atividades econômicas liberadas há 2 meses (galerias, shoppings e academias) ficarão fechadas por 14 dias.

Por: Lourice Rocha

(Foto destaque: Principais notícias da semana sobre a Covid-19 .Reprodução/Freepik)

Related Article

0 Comentários

Deixe um comentário