Embora acredite que é o que é por causa de suas escolhas, Erika Januza revela ter perdido trabalho por amor. Mas lamenta não ter pensado mais nela naquele momento.

Capa da edição de março da Revista Glamour, Erika Januza falou, sobretudo, da representatividade da mulher negra.



Com efeito, Erika vem sendo uma força na luta contra o preconceito. Apesar de já ter sofrido com preconceito na pele, a bela usa seu sucesso para conscientização de mulheres negras.

Surpreendentemente, foi ela quem sugeriu o corte de cabelo para seu personagem. “A ideia veio de um desejo genuíno de poder representar mais mulheres”, contou.

Porém, a musa confessou que antes a coisa era diferente.

Nunca falamos sobre racismo em casa. Nos entendíamos como negros e ponto. Meu primeiro contato com o assunto foi aos 26 anos, quando me mudei para o Rio e sofri ao precisar cortar o cabelo para viver uma personagem.


Erika Januza (Foto: Reprodução / Instagram)


Em seguida, ela explica o motivo de seu sofrimento. “Usava um aplique liso até a cintura. Naquele momento, entendi que não sabia como era o meu próprio cabelo. Foi por meio da descoberta da minha imagem e da minha beleza real que comecei a estudar sobre negritude. Olhando para trás, consigo identificar vários momentos de preconceito, mas não era parte da minha realidade. Até então, nunca havia sido uma questão para mim.

Leia mais: Homem Aranha 3 pode trazer a participação do Demolidor

Erika diz se identificar com sua personagem na trama de Manuela Dias, Amor de Mãe, isto é, ja precisou escolher entre o amor e um sonho. Optou pelo amor e não sabe o que teria acontecido se tivesse feito outra escolha. Entretanto acredita que é fruto de suas escolhas, mas confessa que deveria ter pensado mais nela naquele momento.

A atriz também está em cena em Anjo Renegado, série do Globoplay.

Por Daniele Gorito

Foto destaque: Reprodução/Instagram

Related Article

0 Comentários

Deixe um comentário