O psicólogo contou detalhes do projeto de atendimento psicológico gratuito ao público na quarentena

Victor Hugo, sétimo eliminado do Big Brother Brasil 20 com 85,22% dos votos, criou um projeto para ajudar as pessoas durante a pandemia com atendimentos psicológicos gratuitos por aplicativos de videoconferências. “Pessoas enlutadas ou com familiares infectados terão minha prioridade”, explicou o ex-brother.



Em resumo o projeto visa atender pessoas que não tem condições para pagar o tratamentos e estão enfrentando problemas relacionados à saúde mental, durante o período de isolamento social para evitar a proliferação do Coronavírus.

Objetivo do projeto

A princípio, a ideia surgiu quando o ex BBB voltou a atender seus pacientes particulares online e refletiu sobre as questões psicológicas que poderiam ser enfrentadas e potencializadas com o isolamento social. “Recebi muitos e-mails de pessoas que precisam de atendimento, mas não tinham condições financeiras para bancar”, disse o psicólogo.

“A maior parte das queixas era relacionada ao impacto da quarentena. Desse modo, foi aí que resolvi atender gratuitamente àqueles que tivessem demandas diretamente ligadas a esse problema atual”, concluiu.

Depois de receber centenas de solicitações de atendimento e buscar ajudar o maior número de pessoas possível, Victor Hugo convidou colegas de profissão para fazer parte dessa empreitada.

A saber, o projeto neste momento está na fase de triagem e marcação das consultas. Os interessados devem entrar em contato pelo e-mail: assessoriavht@gmail.com. “Casos que dou destaque também são pessoas que perderam seu emprego devido à pandemia”, explicou.

Leia mais: Victor Hugo é o sétimo eliminado do BBB20

projeto

Ex participante do BBB, Victor Hugo, cria projeto de atendimento psicológico gratuito ao público (Foto: Reprodução/Divulgação)


Planos futuros

Logo após o fim do confinamento na casa mais vigiada do Brasil, Victor Hugo tem novos planos para sua carreira profissional. “Estou focado na carreira de roteirista”, iniciou.

“Estou desenvolvendo um projeto de reality show musical, tenho sinopses de séries e novelas escritas, tenho feito cursos de roteiro, mentoria especializada na área e quero continuar investindo ainda mais. Amo escrever e criar histórias. Tenho também desenvolvido alguns conteúdos para minhas redes sociais”, finalizou.

Cultura  do Cancelamento

A cultura do cancelamento, termo usado com força nas redes sociais, afeta sobretudo celebridades, que são canceladas por terem feito algo errado ou falado algo mal interpretado, vem dividindo opiniões e sendo tema de estudos específicos. “A cultura do cancelamento é resultado de uma violenta campanha a favor da imposição de rótulos e julgamentos sociais pela internet”, declarou.

Confira a entrevista na íntegra:

1. Primeiramente, é com extrema alegria que agradecemos a entrevista. O seu projeto de atendimento psicológico gratuito durante a quarentena devido a pandemia do coronavírus, poderá ajudar muitas pessoas nesse momento tão delicado que estamos vivendo. Como surgiu a ideia de criar o projeto?

R. A ideia surgiu quando eu voltei a atender meus pacientes particulares online. Recebi muitos e-mails de pessoas que precisam de atendimento, mas não tinham condições financeiras para bancar. A maior parte das queixas era relacionada ao impacto da quarentena. Foi aí que resolvi atender gratuitamente àqueles que tivessem demandas diretamente ligadas a esse problema atual.

2. Vai existir alguma seleção e/ou critérios específicos para as pessoas que irão receber atendimento psicológico no seu projeto?

R. Sim. Eu estou analisando os casos por critérios de urgência e/ou gravidade. Por exemplo, pessoas enlutadas ou com familiares infectados terão minha prioridade. Casos que dou destaque também são pessoas que perderam meu emprego devido à pandemia.

3. Em conjunto ao seu projeto, qual mensagem especial você pode deixar para o público em meio a esse caos mundial?

R. Esse é o momento que temos de nos unir, fazer mais pelo próximo. Cada um pode ajudar de uma forma. Eu posso ajudar com minha profissão, mas outros podem ajudar dando alimentos, distribuindo máscaras ou álcool em gel. Se cada um puder ajudar com o mínimo que puder, a gente ameniza o impacto da pandemia.

4. Em toda a trajetória no Big Brother Brasil 20, sua participação foi repleta de momentos marcantes. Com maior índice de rejeição da 20ª temporada, você foi eliminado com 85% dos votos do público e inicialmente “cancelado” nas redes sociais. A “Cultura do Cancelamento” vem dividindo opiniões entre pessoas que concordam e que não concordam com essa expressão tão falada ultimamente. Queremos saber, qual a sua opinião sobre a “Cultura do Cancelamento”?

R. A cultura do cancelamento é resultado de uma violenta campanha a favor da imposição de rótulos e julgamentos sociais pela internet. No meu caso, não houve uma rejeição das pessoas em relação a mim, mas saí num paredão onde eu estava com dois grandes favoritos: Manu e Babu. Portanto, houve uma rejeição numérica.

5. Quais são seus planos para a carreira pós o Big Brother Brasil 20?

R. Estou focado na carreira de roteirista. Estou desenvolvendo um projeto de reality show musical, tenho sinopses de séries e novelas escritas, tenho feito cursos de roteiro, mentoria especializada na área e quero continuar investindo ainda mais. Amo escrever e criar histórias. Tenho também desenvolvido alguns conteúdos para minhas redes sociais.

6. Agora, revendo toda sua participação no Big Brother Brasil. Qual o maior aprendizado que irá levar do reality para sua vida?
R. O maior aprendizado foi a superação. Saber colocar o filtro quanto ao que te falam. Me sinto mais forte e preparado para novos desafios.

Por: Karla Gobnes

Imagem em destaque: Victor Hugo BBB20. (Reprodução/Divulgação)

Related Article

0 Comentários

Deixe um comentário