Coronavírus e as receitas milagrosas

Desde que a pandemia do novo coronavírus virou notícia, as qualidades excepcionais dos alimentos entraram na mira das fake news. Não faltam receitas prometendo prevenção ou cura. A seguir, mais um punhado de mensagens falsas relacionando alimentos e o novo vírus.



#FatoOuFake: Maçã, inhame cru e água de coco “turbinam” sistema imunológico e afugentam o novo coronavírus #MENTIRA

“Maçã, inhame cru e água de coco uma vez por dia. Remédio caseiro para coronavírus, não tem contra indicação.”

Embora seja decepcionante repetir: ainda não há cura para a Covid-19. A frase tem sido repetida como mantra nas últimas semanas para desmentir mensagens mentirosas que comunicam a cura da nova doença. A Organização Mundial da Saúde (OMS) é categórica a esse respeito e ensina a maneira correta de se evitar a doença. Ainda assim, são inúmeras as informações de que remédios, alimentos, vacinas e até entorpecentes curam a enfermidade provocada pelo novo coronavírus.

Mantendo o ritual, uma nova história circula nas redes sociais dizendo que comer maçã, inhame e água de coco previne a Covid-19. Uma das versões da notícia acrescenta mel e limão à receita. Com a promessa de “turbinar” a imunidade e deixar o corpo resistente à doença, a mistura deve ser tomada uma vez ao dia.

“Galera, bebam leite de inhame. É natural, saudável, barato, fácil de fazer e vai turbinar seu sistema imunológico. A receita que eu faço segue no comentário. Dica: bata o leite de inhame com maçã, limão e mel. Coronavírus nenhum vai se atrever a entrar no seu corpo”.


Água de coco

Água de coco com maçã e inhame não previne a Covid-19. (Foto: Reprodução/Pixabay)


Mesmo que seja do entendimento de todos, nunca é demais repetir: ainda não foi descoberta a cura para a Covid-19. Ao menos ela não foi divulgada. Lamentavelmente, assim como nenhuma substância manipulada em laboratório, nenhuma receita caseira mostrou-se efetiva contra a nova enfermidade. Tudo não passa de especulação e crendice. Crenças que podem causar sérios problemas se levados à risca, já que numerosas receitas induzem comportamentos errados quanto aos alimentos.

Consumo incorreto

Médicos não cansam de alertar que excessos trazem riscos. Que até mesmo insumos aparentemente inofensivos e de uso corrente podem gerar algum transtorno quando consumidos em demasia ou de maneira incorreta. Um erro comum é acreditar que alimentos conhecidos por suas qualidades nutricionais excepcionais podem ser consumidos sem restrições. Ou mesmo que o consumo in natura não causa problemas. De simples alergias e intoxicações alimentares a doenças graves, alguns comestíveis são a gênese de danos sérios ao organismo, exigindo cuidados redobrados.

Leia mais: Coronavírus: Brasileiros criam roupa de tecnologia antiviral

Para ilustrar, um tubérculo denominado taro, muito confundido com inhame, costuma fazer mal quando consumido cru. A receita em questão incentiva o consumo de inhame, mas não alerta sobre a natureza do vegetal. Em outras palavras, sobre a possibilidade de o indivíduo que seguir a receita confundir taro com inhame. Isso denota irresponsabilidade de quem difunde informações aleatórias sem se preocupar com as consequências, que muitas vezes podem ser desastrosas. Em suma, a publicação é falsa e inconsequente.


Inhame

Consumir tubérculos de maneira inadequada causar problemas de saúde. (Foto: Reprodução/Pixabay)


Enxofre e alho previnem e curam a Covid-19 #MENTIRA

Mais uma notícia que relaciona os poderes “milagrosos” dos alimentos à cura do coronavírus ganhou fama em meados de junho. A notícia ganhou repercussão quando uma apoiadora declarou ao presidente, em frente ao Palácio da Alvorada, ter encontrado a cura para a nova doença. Interessado, Jair Bolsonaro (sem partido) assegurou à mulher uma reunião com o Ministério da Saúde.

Um vídeo sobre o episódio foi amplamente divulgado na mídia e viralizou nas redes sociais. A mulher, que afirmava ter vindo do Paraná e estar há tempos tentando contatar o Ministério, disse ter descoberto que enxofre cura a Covi-19. Segundo ela, Deus é quem teria feito a revelação.

Segundo o discurso, alimentos ricos em enxofre tem poder para destruir o vírus. A mulher cita o alho e fala em reposição de enxofre. Segundo ela, se ingerido diariamente, o alho cru reforça a imunidade e combate a doença, já que possui enxofre em abundância. Em sua fala convicta, a apoiadora colocou-se à disposição do governo, sugerindo que o vírus fosse injetado em seu organismo para que ela pudesse provar a tese.


Enxofre

Enxofre não cura nem previne a Covid-19. (Foto: Reprodução/Pixabay)


“Eu trouxe a cura do coronavírus e eu coloco a minha vida à disposição. Eu tenho 38 anos, sou mãe de três filhos e não estou aqui para brincar. Deus fala comigo desde os seis anos. Deus quer honrar esse país, Deus quer te exaltar na presença de todos os povos e nações. Não preciso que acreditem em mim, só preciso que ponham à prova. Podem injetar o vírus em mim, eu assumo todas as responsabilidades.”

O que diz a ciência

Infectologistas argumentam que o enxofre é um agente importante para a defesa do organismo, combatendo infecções e inibindo a replicação de alguns vírus. Ainda assim, não há evidência científica de sua efetividade contra coronavírus, família de vírus a que pertence o Sars-CoV-2, causador da Covid-19. A propósito, até o momento, nenhum estudo apontou o enxofre como possível tratamento para infecção por coronavírus. Outra informação equivocada diz respeito à reposição do mineral que, para os especialistas, deve ser feita naturalmente por meio da alimentação e não com terapias de reposição.

Os médicos alertam, ainda, para os riscos de se consumir enxofre por conta própria. Explicam que apesar de ser um elemento químico essencial para o bom funcionamento do corpo, o enxofre é tóxico quando ingerido ou inalado de maneira inadequada e em em altas concentrações. De maneira geral, os especialistas apostam numa dieta balanceada para a proteção do organismo contra qualquer moléstia.


Alho

Alho não neutraliza o novo coronavírus. (Foto: Reprodução/Pixabay)


Alertas sobre o consumo exagerado também já foram feitos diversas vezes sobre o alho. São múltiplas as mensagens enganosas que pregam a cura e prevenção da Covid-19 por meio da planta e nós já desmentimos várias delas. Embora apresente características importantes para o combate a infecções infecções – a presença de enxofre é uma delas – o alho, assim como nenhum alimento, não tem eficácia comprovada sobre o novo coronavírus. Além do mais, seu consumo em excesso traz prejuízos à saúde e deve ser evitado. O Ministério da Saúde classifica como fake news as mensagens que apontam o alho como solução para a Covid-19.

Por: Gláucia Fernandes

(Foto Destaque: Coronavírus. Reprodução/Pixabay)

Related Article

0 Comentários

Deixe um comentário