Coronavírus: mais fake news sobre máscara de proteção

Continuando a série de fake news que trata do uso de máscaras de proteção, confira a seguir os desmentidos de notícias enganosas que têm dado o que falar.



#FatoOuFake: Adidas doa máscaras de material reciclado para ajudar a frear pandemia do novo coronavírus #MENTIRA

Uma mensagem envolvendo a Adidas tem rodado na internet dizendo que a empresa está doando máscaras para ajudar no combate ao novo coronavírus. Quem desejar receber o acessório deve acessar um site, fazer uma espécie de inscrição ou cadastro e divulgar a ação da empresa por meio de compartilhamentos no WhatsApp.

O esquema é antigo, bastante conhecido e recorrente. Corresponde a um golpe já descrito aqui diversas vezes que, sob o mesmo formato, relaciona empresas, ONGs e mesmo governos de diferentes esferas a intervenções filantrópicas durante a pandemia. Para ilustrar, Carrefour, Havan, Caixa Econômica Federal, Governo Federal são instituições que já se viram envolvidas nesse tipo de notícia mal intencionada. Analogamente, não é difícil imaginar, diversas pessoas afetadas pela crise têm sido enganadas e caído na armadilha.

Segundo a notícia, a Adiddas estaria doando máscaras reutilizáveis feitas com material reciclado. O texto tem circulado em espanhol com a seguinte composição: “Ya te enteraste que Adidas nos está regalando máscaras faciales reutilizables Adidas – Mascarillas reutilizables hechas con tela reciclada.” Em português, tem-se o seguinte: “Você já ouviu falar que a Adidas está nos dando máscaras reutilizáveis Adidas – máscaras reutilizáveis feitas com tecido reciclado”.


Adidas

Adidas não está doando máscaras para proteção contra a Covid-19. (Foto: Reprodução/Pixabay)


Novo lançamento

A mensagem surge logo após a marca anunciar o lançamento de máscaras com tecnologia inovadora. Segundo a companhia, o acessório reutilizável é feito com material reciclado de alta performance. Conforme a publicidade, a máscara batizada de Face Cover é mais confortável e ventilada, facilitando a respiração. A tecnologia desperta interesse e, é provável, contribuiu para a disseminação de mensagens sobre a doação do produto, cujos benefícios são tão almejados.

Leia mais: Oprah Winfrey doa R$ 16 milhões para ajudar no combate ao Coronavírus

Vale lembrar que publicações enganosas sobre o uso da máscara têm sido costumeiras. Muitas questionam a eficácia e pregam a desnecessidade do uso da proteção. Desmentimos recentemente fake news que diz que o acessório atrapalha as trocas gasosas, ajudando a espalhar o novo vírus ao invés de frear o seu avanço. Os detalhes dessa história você pode conferir clicando aqui. Em suma, a insegurança causada por notícias dessa natureza, bem como a procura por um acessório mais eficiente sem dúvidas favoreceram o espalhamento do conteúdo sobre a Adidas.

Mais que uma mensagem mentirosa, a mensagem é traiçoeira e perigosa: divulga algo excepcional, que desperta a atenção do leitor, induzindo-o a acessar uma página falsa. Em seguida, solicita informações pessoais para a realização de um cadastro e, finalmente, o compartilhamento da mensagem nas redes sociais. O objetivo clássico é o de roubar dados do usuário que, fragilizado, muitas vezes acaba cedendo. Além desse, outro propósito pode ser o de lucrar com cliques em sites criados para essa finalidade. De qualquer maneira, por mais atrativas que sejam, mensagens similares a da Adidas são falsas. Mais que isso, correspondem a um golpe do qual podem advir grandes contratempos e perdas caso não ele não seja tratado com a devida seriedade.

#FatoOuFake: Motorista é agredido por exigir que passageiro use máscara #MENTIRA

Circula nas redes sociais mensagem enganosa afirmando que um motorista foi apedrejado por se queixar de um passageiro que não usava máscara para prevenção da Covid-19. A notícia vem acompanhada de foto que mostra um homem ensanguentado em ambulância recebendo cuidados médicos. Embora retrate um episódio real de apedrejamento, a imagem nada tem a ver com a pandemia do novo coronavírus. Ela foi registrada em 2015, em Recife.

O texto que acompanha a foto explica o seguinte: “Esse motorista de ônibus acabou de levar uma pedrada na boca com um paralelepípedo e teve o maxilar quebrado por um passageiro que queria subir no coletivo sem máscara e ele reclamou”.

A mensagem foi compartilhada milhares de vezes no Facebook desde o início de junho. De certa maneira, ela denuncia o desconforto a que motoristas de coletivos têm sido submetidos, visto que rotineiramente muitos se vêem na condição de polícia, tendo que exigir o uso do acessório. Vários relatos verídicos têm sido divulgados a esse respeito desde que algumas cidades tornaram obrigatório o uso da máscara em espaços públicos.


Mácara covid-19

É falsa a notícia de que motorista foi agredido por causa do uso da máscara. (Foto: Reprodução/Pixabay


A verdade

Sobre notícia em questão, uma breve averiguação na rede indica que o homem uniformizado se chama José Leite de Queiroz, motorista da companhia Vera Cruz, da capital pernambucana. José teve o maxilar fraturado após ser atingido por uma pedra enquanto dirigia e foi submetido a cirurgia. O agressor, que supostamente sofria de transtorno mental, foi encaminhado para hospital psiquiátrico.

Como é costumeiro no universo das fake news, a mensagem descontextualiza um fato real para dar suporte à informação falsa que se almeja divulgar. Similarmente a centenas de notícias alarmistas espalhadas na rede, a mensagem é falsa.

Por: Gláucia Fernandes

(Foto Destaque: Máscara. Reprodução/Pixabay)

Related Article

0 Comentários

Deixe um comentário