Água sanitária: novo alvo das fake news

No universo das fake news sobre o novo coronavírus ninguém tem isenção, ninguém escapa. Os ataques tendem a ser estapafúrdios, ilógicos, mas vez ou outra fazem uso de alguma racionalidade. A seguir, mais uma notícia fake que relaciona instrumento de prevenção contra a Covid-19.



#FatoOuFake: Autoridades holandesas dizem que água sanitária em ralos e esgotos ajuda a previnir Covid-19 #MENTIRA

Uma notícia circula nas redes sociais exaltando os benefícios da água sanitária contra o novo coronavírus. Como o desinfetante tem ação comprovada na limpeza de roupas e objetos contaminados pelo novo vírus, de acordo com a mensagem, uma tática para frear o espalhamento da Covid-19 seria o uso da solução na rede de esgoto. Segundo a informação, a população deveria adicionar água sanitária nos ralos de suas casas. Essa prática neutralizaria o vírus, impedindo a sua replicação e disseminação entre aqueles que têm contato com os rejeitos.

De acordo com a informação, a medida seria importante porque os casos de Covid-19 estariam aumentando mesmo entre aqueles que seguem as orientações de isolamento e higienização. O texto tem a seguinte composição:

“Água sanitária nos esgotos. Por favor, adicione 1 colher de sopa de água sanitária em cada ralo das suas privadas, lavatórios, banheiras, chuveiros, lava-louças , etc … As autoridades holandesas descobriram que o vírus está crescendo e se multiplicando no sistema de águas residuais. Eles descobriram que mesmo as pessoas que estavam confinadas em suas casas pegaram o vírus e decidiram testar a água do sistema de águas residuais e encontraram o vírus Covid-19 ativo nos esgotos. Peça a todos que você conhece para fazer o mesmo. Todos os desinfetantes fortes e corrosivos podem desempenhar o mesmo papel, mas a água sanitária concentrada é a melhor opção.” (sic)


bueiro

Autoridades holandesas não recomendam usar água sanitária nos bueiros e ralos das casas. (Foto: Reprodução/Pixabay)


Conforme a mensagem, a orientação teria partido de autoridades holandesas após terem encontrado partículas do Sars-CoV-2, vírus causador da Covid-19, no sistema de águas residuais do país. A informação, entretanto, é falsa: não há comprovação de que água sanitária no esgoto impeça a disseminação do novo coronavírus, tampouco há qualquer tipo de despacho nesse sentido, emitido por órgãos oficiais, circulando na Holanda.

Desdobramentos

A notícia se ancora em um estudo realizado na Holanda e divulgado no final de março no qual cientistas revelam ter encontrado partículas do novo coronavírus no sistema de esgoto. A descoberta acendeu a hipótese de contaminação por meio dos rejeitos. Alimentou também diversas informações fake nesse sentido.

Leia mais: Corticoide pode ser eficaz contra o coronavírus

Na Austrália, por exemplo, a relação entre o novo coronavírus e esgoto deu o que falar. A popularidade do tema ensejou, inclusive, a desconfiança inusitada de que a flatulência pode disseminar a Covid-19. Ao participar do podcast “Coronacast“, um médico australiano afirmou que o vírus poderia ser transmitido por gases intestinais e que as pessoas deveriam evitar liberá-los em público. Nós relatamos o episódio. Os detalhes podem ser conferidos aqui.

Especialistas informam que a presença do vírus em esgotos não é evidência suficiente para provar a contaminação por esse meio. Segundos médicos infectologistas, o Sars-CoV-2 torna-se inativo horas depois de sair do organismo. Vírus precisam de células hospedeiras para se replicarem, explicam. Assim sendo, é improvável a contaminação por meio do esgoto, uma vez que esse ambiente não reúne as condições ideais para a multiplicação viral. Explicam, ainda, que por mais que a água sanitária seja efetiva contra o vírus, a quantidade recomendada na notícia é insuficiente para tratar o enorme volume de resíduos que circula nas grandes cidades.

Em suma, a notícia em questão reacende uma dúvida de certa forma já desconsiderada. Mas, vale dizer, as teses sobre a transmissão por meio de excrementos seguem sem uma definição unânime. Assim sendo, é incoerente afirmar com certeza, como faz a notícia, que a água sanitária em ralos é capaz eliminar e impedir o espalhamento do vírus. Por outro lado, ainda que improvável, parece prematuro refutar a hipótese completamente. Considerando a precária infraestrutura sanitária brasileira, a possibilidade de contaminação através do esgoto é uma questão importante e não deve ser ignorada.


fake news

É fake que sistema de esgoto transmita o novo coronavírus. (Foto: Reprodução/Pixabay)


Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde também nega a possibilidade de contaminação por meio do esgoto. A instituição lembra que não há recomendação em nenhuma parte do mundo sobre o uso do composto químico nas saídas de água e esgoto das casas; mais um indicativo de que a suspeita não procede. Salienta, ainda, que a aferição do esgoto tem a finalidade de mapear os focos da doença e não de determinar áreas potenciais para novos surtos em função do esgoto contaminado.

Diante das dificuldades de se fazer testagem em massa, o rastreamento dos focos de infecção pela análise das águas residuais representa uma ação importante para prevenir novos contágios. No Brasil, algumas iniciativas já têm sido tomadas nesse sentido. Mas os cientistas reforçam: o objetivo da análise é o de mapear áreas de maior incidência de transmissão. E ainda: não há evidências de que esgoto transmita a Covid-19, muito menos que água sanitária nos ralos seja capaz de diminuir o contágio. Enfim, a notícia é falsa.

Por:  Gláucia Fernandes

(Foto Destaque: #FatoOuFake: Voltamos a falar de coronavírus. Reprodução/Pixabay)

Related Article

0 Comentários

Deixe um comentário