Terapeuta familiar afirma que as famílias estão diante de uma boa oportunidade para despertar atitudes colaborativas nas crianças, incluindo-os em atividades domésticas

Há quase dois meses, o Brasil adotou a medida de isolamento social como consequência da pandemia da Covid-19. Sendo assim, as famílias estão dentro de casa. Com isso, a quantidade de atividades domésticas estão aumentando e torna-se primordial a organização e limpeza do lar. A nova rotina imposta pela quarentena implica em pais trabalhando em home office e filhos assistindo aulas remotas/online.



Todos estão passando por um momento difícil. Porém, esse é o instante de reduzir danos e pensar como pode-se aproveitar esse momento em casa de maneira positiva. De acordo com Rosalina Moura, terapeuta familiar, o contexto atual é propício para envolver os filhos em atividades domésticas e despertar atitudes colaborativas nas crianças. “Um aprendizado que devemos levar adiante em nossas vidas, mesmo depois da crise”, afirma a terapeuta.

Leia mais: Portadores de necessidades especiais têm mais chances de contrair Covid-19

Quais são as tarefas domésticas que crianças pequenas podem fazer?

Segundo entrevista a Folhinha, seção dedicada ao público infantil da Folha de São Paulo, Rosalina explica que “em geral, as crianças pequenas se divertem ajudando, ainda mais quando o desafio é colocado de forma lúdica”, conta. Nesse caso, os filhos podem em tarefas, tais como:

  • Ajudar a tirar a mesa
  • Auxiliar na cozinha
  • Dobrar roupas
  • Guardar brinquedos
  • Guardar livros e material escolar quando terminar a lição de casa

A professora Ana Karla de Almeida, 46, conta que a filha Rianne, 10, começou a colocar em prática pequenas ajudas nas tarefas domésticas desde o começo da quarentena. “Rianne sempre estudou num período integral, sendo assim, nunca teve muita oportunidade de ajudar dentro de casa. Como agora estamos todos confinados, percebo que é muito bom vê-la se sentir necessária e importante ao auxiliar nas tarefas domésticas”, conta a professora.

A estudante Rianne de Almeida, 11, arrumando sua cama. (Foto: Reprodução/ Ana Karla de Almeida/Arquivo Pessoal)


Rosalina Moura ainda explica que seria ideal delegar das tarefas mais simples e, gradativamente, ir até as mais complexas. Além disso, a terapeuta ainda diz que as tarefas designadas aos filhos precisam acordar com suas características e habilidades. “Tentei pedir ajuda a Ri na cozinha, me auxiliando. Porém, percebi que ela é bem atrapalhada [risos]. Por isso, coloquei-a para arrumar as camas, colocar a mesa e tirar poeira dos móveis. Percebo que ela gosta de fazer essas atividades”, conta Ana Karla.

Qual é a principal dica a seguir para que os filhos sigam a rotina de auxiliar nas tarefas domésticas?

Quem já assistiu algum episódio de SuperNanny sabe: as crianças precisam de um direcionamento quando o assunto é tarefa doméstica. Sendo assim, a principal sugestão é criar uma rotina com os pequenos. Definir tarefas e horários é uma boa ideia. Caso possível, escreva e deixe pendurado em algum lugar visível para que a criança tenha acesso. “Regras e limites podem coexistir com afeto”, explica a terapeuta.

Cronograma com as tarefas domésticas que cada componente da casa deve realizar (Foto: Reprodução/Ana Karla de Almeida/Arquivo Pessoal)


“Aqui em casa, um pouco depois que comecei a introduzir Rianne nas tarefas domésticas fiz um cronograma. Acho importante que ela entenda quais são suas tarefas e o que deve fazer. Para que não houvessem dúvidas, imprimi e coloquei na cozinha, num lugar visível“, explica Ana Karla. “Separei todas as obrigações por cor. Ri é representada pela cor azul. Todos os dias ela é responsável por arrumar a própria cama, colocar a mesa do jantar e, em dias alternados, passar pano nos móveis, para tirar a poeira”, conclui a professora.

Por fim, a terapeuta atesta que “todos estamos muito sensíveis emocionalmente. Portanto, é importante atentar para as necessidades e limites dos filhos. Embora questões práticas tenham sua importância, conversar sobre o sentimentos e dar espaço para a expressão individual de cada membro da família são aspectos fundamentais neste momento”, finaliza.

Por: Raianne Romão

Imagem em destaque: (Reprodução/Papo Casa)

Related Article

0 Comentários

Deixe um comentário