Segundo a colunista Fábia Oliveira do Jornal ‘O dia’ a apresentadora global Maju Coutinho, já acionou seus advogados para um possível processo contra o rapaz

Rodrigo Branco, ex-diretor da Band, fez comentários racistas sobre Maju durante uma live com a influencer Ju de Paulla, na última segunda(30).



Maria Júlia Coutinho Pontes, conhecida como Maria Júlia Coutinho, mas também como Maju, jornalista, apresentadora, comentarista, radialista e repórter. E desde o dia 30 de setembro de 2019 é âncora do Jornal Hoje, na TV Globo.

Maju apresentando o JH

Maju apresentando o JH (Fonte: Instagram)


Eventualmente, desde sua estréia como apresentadora do JH, Maju tem sido alvo de vários comentários racistas nas redes sociais. Todavia, dessa vez a situação foi mais agravante. A jornalista foi citada em falas racistas pelo empresário e ex-diretor de TV, Rodrigo Branco durante uma live com a influenciadora Ju de Paulla. O empresário criticou o desempenho profissional de Maju e alegou que a mesma só estaria lá portanto, (Jornal Hoje“por causa da cor”.

Ex-diretor e empresário Rodrogo Branco

Ex-diretor e empresário Rodrigo Branco (Fonte: Instagram)


Leia mais: Ex-diretor da Band Rodrigo Branco dispara falas racistas a jornalista da Globo

Mas, não é a primeira vez que a apresentadora recorre à justiça em relação aos ataques racistas que vem sofrendo.

A luta de Maju contra o racismo

Conforme publicação do UOL, divulgada no dia 09/03/2020, o TJSP (Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo), manifestou a decisão da 5ª Vara Criminal da Comarca da Capital, onde condenava dois homens pelos crimes de racismo e injúria racial contra Maju Coutinho.

Erico Monteiro e Rogério Wagner, foram então denunciados por publicarem frases racistas com perfis falsos nas redes sociais da Globo. “Negros são uma raça maldita. Merecem morrer. Não era para ter acabado com a escravidão. Negros desgraçados merecem o Xicote [sic]”.

Na ocasião o juiz Eduardo Pereira Santos Júnior classificou os atos como “enojantes”.

“[…] Maju, como é conhecida do grande público, foi eleita pelos réus pela sua grande exposição no Jornal Nacional da Rede Globo. [.,.] Ao atacar figura pública emblemática, os réus visavam – e de alguma forma obtiveram – ampla repercussão de suas mensagens segregacionistas”, diz o juiz Eduardo Pereira em sentença.

Diante de uma situação triste como essa, cabe a nós pedir mais respeito as pessoas, independente da “cor”… Afinal, somos todos iguais.

Por Ceiça Santos

Imagem destaque: Jornalista Maju Coutinho (Fonte: Instagram)

Related Article

0 Comentários

Deixe um comentário