Mc Carol escreveu sobre as marcas deixadas pelo preconceito racial em sua vida

O tema racismo veio à tona devido a uma série de injustiças e crimes que aconteceram ultimamente. Por isso, a funkeira Mc Carol (26), aproveitou momento para desbafar sobre o assunto e chocou os seguidores com uma publicação no Facebook. Em suma, a cantora falou sobre o racismo que viveu na escola, durante a fama e como é este sentimento.



Mc Carol escreveu na publicação que o racismo faz com que a pessoa se sinta envergonhados e inferior. “O racismo é assim: ele te envergonha, te coloca para baixo. Faz você acreditar que você é muito menos do que uma pessoa branca, que você é feia, suja, inferior”.


Funkeira já fez outros desabafos como este. (Foto: Reprodução/Fernando Schlaepfer)


Além disso, a cantora disse que o preconceito racial faz com que os negros se virem uns contra os outros. “[O racismo] faz você ficar contra os seus, não se relacionar principalmente amorosamente com os seus. Te coloca medo”.

Ademais, Mc Carol relatou as marcas deixadas pelo racismo e que ele ocorre quando ninguém espera. “O racismo te causa traumas incuráveis, eu até hoje fico constrangida pra entrar em lojas e principalmente restaurantes de luxo, mesmo tendo dinheiro pra entrar, de verdade mesmo. O racismo te pega em ocasiões que você menos espera e na maioria das vezes, VOCÊ TRAVA. Você fica tão chocado(a) que você paralisa, a lágrima vem e, você não consegue falar nada!”.

A funkeira também disse estar preocupada com o preconceito que seus futuros filhos podem sofrer. “Eu não sei como vou falar pra minha filha que ela vai sofrer, ser excluída, humilhada e talvez morta por conta da cor da pele dela. Que a vida pra ela vai ser 100 vezes pior e mais pesada e que ele não vai poder ter a liberdade de uma criança branca”.

A funkeira revelou o preconceito que sofreu na escola

Mc Carol lidou com esta realidade deste cedo. (Foto: Reprodução/The Intercept Brasil)


Como a maioria das crianças negras, a funkeira Mc Carol também foi vítima de racismo na escola. Na postagem no Facebook, ela contou como foi passar por essa experiência.

Leia mais: Anitta rebate crítica em live sobre política

A princípio, Mc Carol relatou que seus avós queiram colocá-la em uma escola particular. Mas ela ameaçou sair de casa, caso isso acontecesse. Por isso, os avós decidiram a matricular em um colégio público. No entanto, a cantora foi vítima de racismo do mesmo jeito.

“Cheguei na turma e nem a professora falava comigo, foram meses assim, eu só tinha uma amiga chamada Miris, mas nem sempre ela estava por perto”, escreveu.

Posteriormente, a funkeira disse que sofria desprezo e que se escondia na biblioteca. “Aí eu chegava no colegio e era desprezada, as pessoas faziam piada com minha roupa, riam do meu cabelo, do meu corpo, falavam coisas baixinho com um olhar de nojo. Eu tinha vergonha até de comer na escola ou ficar no pátio. Eu me escondia todos os dias na biblioteca”.

Mc Carol ainda relatou que “passava por tudo isso porque eu queria ser alguém”. Em seguida, a cantora afirmou ter conhecido uma menina negra que não quis fazer amizade com ela por causa do tom da pele. Quando questionada, a garota disse ter nojo da própria pele. Além disso, Mc Carol chegou a ser chamada de “macaca” pelos outros alunos.

Mc Carol também relatou sobre racismo durante a fama

Mc Carol mostrou que racimo atinge anônimos e famosos. (Foto: Reprodução/Fernando Schlaepfer)


Durante a postagem, Mc Carol escreveu sobre o racismo durante a fama. A cantora ainda contou um caso que aconteceu na época das gravações de Lucky Ladies. Este reality era sobre a rotina das grandes funkeiras brasileiras e as gravações aconteciam em Copacabana.

Mc Carol contou que em um dos dias e gravação, ela foi até um ateliê para ajustar um vestido e como estava com pressa, passou rápido do Bob’s para comprar um lanche. Por isso, a cantora pediu para uma moça chamar o táxi para elas. Logo após Mc Carol entrar no veículo, o taxista gritou e a expulsou.

A princípio, Mc Carol acreditou que era porque ela estava com um lanche. Mas logo em seguida percebeu que estava sendo vítima de racismo. “Toda vez q falo sobre isso meus olhos enchem de lágrima eu não estava preparada pra passar por isso! Assim… comparado a tantas maldades, que a gente vê, no mundo, isso não é nada, mas isso me dói até hoje, de verdade. E é uma coisa que eu acho que eu nunca vou esquecer”.

Por: Adelmo Júnior

(Foto destaque: Mc Carol. Reprodução/YouTube)

Related Article

0 Comentários

Deixe um comentário