Através do perfil Moda Racista, o modelo postou um vídeo revelando a indústria da moda para modelos gays e contou vivencias homofóbicas

O modelo paulista de 27 anos, contou vivências durante os 12 anos como modelo. Através de um vídeo postado, domingo, na página Moda Racista, Iago Santibanez relatou algumas frases homofóbicas que escutou durante os anos. De acordo com ele, esses momentos trouxeram muita insegurança.



Leia mais: Racismo na moda brasileira é exposto

Ele começa desabafando. “São situações que a gente vive… às vezes é só uma frasezinha aqui, outra frasezinha ali, mas que você leva para o resto da vida e que pode trazer muita insegurança”.


Iago desfilando para o estilista João Pimenta. (Foto: Reprodução/ Instagram)


Iago começou a modelar entre 14 e 15 anos. Desde o inicio, ele escutava comentários homofóbicos como “Viado não pegava desfile”, e “Eles não querem um LGBTQI+ para representar a marca deles” ou “Eles não querem um menino afeminado andando na passarela”.

“Essas histórias me trouxeram muitas inseguranças. Até hoje eu tenho que lidar dia-a-dia com elas”. Ele continua “Hoje eu sei lidar com elas melhor. Mas quando eu era um adolescente de 14/15 anos, eu não sabia”.

Então, para conseguir entrar na indústria da moda, Iago conta que precisou esconder partes de si, mesmo que isso prejudicasse sua saúde. “Aprendi a usar uma máscara… Mas aquilo estava me prejudicando mentalmente. Minha saúde mental não estava das melhores. Usar aquela máscara não iria me trazer nada… Eles passam a impressão de que é errado simplesmente por você ser quem você é”.

Histórias

Assim, uma vez em Nova York, ele escutou da dona da agência em que trabalhava. “‘A gente gosta de você, porém todos acham que você é gay. Não quero saber de sua vida pessoal, mas talvez seja por isso que você não causa tanto interesse nos bookers’. Quando ouvi aquilo, fiquei tão sem graça, aquilo me quebrou em 10 mil pedaços.”. Depois disso, ele raspou a cabeça, como ela pediu, para passar a imagem de menino hétero, bad boy.

Outra vez, em Milão, Iago foi fazer um teste para uma grife famosa. Dessa forma, depois da sua apresentação, escutou de seu booker “que o diretor até tinha gostado de mim, mas se eu fosse hétero”.

Por: Isabella Vasconcelos

(Foto Destaque: Iago Santibanez. Reprodução/ Instagram)

Related Article

0 Comentários

Deixe um comentário