Uma crítica a dependência tecnológica na vida social

Geralmente, associamos as redes sociais com  entretenimento  e divertimento. Além de usarmos como  ferramenta  de  trabalho. Deste modo, vemos este meio de comunicação como uma maneira de unir o útil ao agradável. Transferindo aos aparelhos nossa vida social.



Mas a pergunta é: até que ponto isto faz  bem?

Acima de tudo, elas são capazes de mudar o comportamento e o pensamento de pessoas,uma vez que usadas regularmente. Com o rápido avanço das tecnologias, nós seres humanos acabamos nos tornando dependentes destes meios tecnológicos, de diversas formas, nos dias atuais.

Cada vez mais as pessoas estão interagindo no mundo virtual, e aos poucos se esquecendo de vivenciar o mundo real.

Leia mais: Série da Netflix “Ninguém Tá Olhando” é cancelada

Sobre o que se trata o  filme

O filme mostra Ana( Larissa Manoela), uma estudante de moda,que tranca a faculdade para virar  uma digital influencer de sucesso. Ela assina um contrato com uma empresa de entretenimento ,muito renomada chamada ” True Fashion“.

Onde a personagem é uma completa viciada em redes sociais, e não consegue viver sem o seu celular. Desse modo compartilhando desde o momento que acorda, até a hora que dorme com seus fãs. Dessa maneira se importando com a quantidade de curtidas que suas publicações no Instagram irão ter.

Porém, ela sofre um acidente de carro, devido a estar falando no celular, e seus pais são obrigados a tomar  medidas drásticas: nada de usar o celular por um bom tempo. Para isso, Ana terá que aprender da forma mais difícil, indo morar na roça com seu avô,para aprender o real sentido da vida, sem precisar usar o celular.


Representação da dependência dos meios tecnológicos,e o vício das redes sociais.(Foto: Divulgação/Netflix)


Um desafio: desconexão digital para a conexão com a vida social

A trama apresenta um tema da atualidade e muito relevante para a sociedade: a  ‘desconectividade”, que por sua vez, pode ser considerado um desafio para o público infanto-juvenil nos  dias atuais.

E também para pessoas que trabalham com este meio comunicacional,sempre atentas  com a quantidade de curtidas e comentários que terá a publicação de uma  foto que irá postar em sua rede social.

Esta é uma realidade cada vez mais presente nos dias de hoje, e que cada vez mais pessoas estão presas na era digital e desligadas da vida social. 

Ao contrário de Ana, que no início se importava  com a quantidade de likes, por outro lado, seu avô ( Erasmo Carlos) reforça para a neta desde a sua chegada, que não precisa de muito para ser feliz.

 E ao mesmo tempo,  tentando resgatar e fazê-la enxergar a vida com mais simplicidade.

Apesar deste filme ser classificado como comédia romântica,ele faz uma crítica mostrando que não é só de tecnologia que se vive,e o que realmente  importa é ser você mesmo seja no mundo real ou até mesmo nas redes sociais.

 Conclusão

Portanto, esta produção vai muito além de uma simples comédia romântica,bem como a jornada para o autoconhecimento. Não apenas exclusivamente  para a  personagem do filme, como também de modo pessoal, uma análise sobre a vida social.

Para que  você leitor possa refletir sobre qual personagem você está vivendo na sua própria história: você tem vivido como a Ana ? Ou mais o avô da Ana? A pergunta que apresento à você leitor para  repensar, é a seguinte: como você tem administrado a sua vida?

Curiosidades  do filme

O filme “Modo Avião” é classificado o filme mais assistido por meio da Netflix, sem possuir linguagem inglesa.

Por Ana Flaitt Lui

Foto Destaque:  Modo Avião.Divulgação/Instagram/Larissa Manoela

Related Article

0 Comentários

Deixe um comentário