A fim de auxiliar na luta contra o Covid-19, a Netflix cria fundo de US$ 100 milhões para amparar produtores da indústria de entretenimento que foram afetados.

Recentemente, a Netflix precisou parar a produção de quase todos os programas de TV, séries e filmes. As produções foram interrompidas, consequência da ordem emitida para as pessoas ficarem em casa, evitarem viagens e aglomerações nas ruas.



Contudo, a indústria do entretenimento luta contra o desemprego em massa. Aproximadamente 120.000 trabalhadores de audiovisual perderam o emprego, assim que ocorreu o aumento no número de infectados, parando a produção.

Leia mais: The Lovebirds estreia na Netflix por causa do coronavírus


Sede da empresa Netflix.

Sede da empresa Netflix em Los Gatos, California (Foto: Kristoffer Tripplaar/ Reprodução)


“A crise do COVID-19 é devastadora para muitos setores, incluindo a comunidade criativa. Isto é, quase toda a produção de televisão e cinema já parou globalmente – deixando milhares de pessoas sem empregos.”, declarou o chefe de conteúdo da Netflix, Ted Sarandos, em comunicado.

Vendo a situação de pandemia, a Netflix separou um fundo para auxiliar os profissionais da área de entretenimento

Deste fundo, serão separados US$ 15 milhões para organizações sem fins lucrativos, que prestam assistência emergencial e ainda mais, será doado cerca de 2 milhões, que serão divididos entre o Fundo de Desastres SAG-AFTRA COVID- 19 e o Fundo de Cinema e Televisão.

A maior parte do fundo será destinada a apoiar aos trabalhadores mais atingidos em nossas próprias produções ao redor do mundo“.


Ted Sarandos

Ted Sarandos, chefe de conteúdo da Netflix (Foto: Reprodução/VEJA)


Leia mais: Netflix Party: veja filmes e séries online com amigos

“O que está acontecendo é sem precedentes. Somos tão fortes quanto as pessoas com quem trabalhamos e a Netflix tem a sorte de poder ajudar os mais atingidos em nosso setor nesse período desafiador”, reafirmou Sarandos.

A empresa encontra-se contribuindo para ajudar a Europa, América Latina e Ásia. Todavia, muitas de suas produções gravadas em áreas afetadas, necessitam passar a crise para voltar à rotina.

Por Andressa Araújo

Related Article

0 Comentários

Deixe um comentário