Não é a primeira vez que o Hamill segue pedidos dos seus seguidores no Twitter

Durante a noite da última quinta-feira (4), a comunidade gamer brasileira foi às redes sociais e fez inúmeras denúncias contra o canal Xbox Mil Grau, (agora o canal se chama XMG) grupo de streamers de jogos acusados de racismo, homofobia e transfobia nas redes. E o ator Mark Hamill aderiu a campanha.



Usando a hashtag #YoutubeApoiaRacista, que aliás entrou para os Trending Topics do Twitter, a campanha, que já havia mobilizado denúncias aos representantes do Xbox no Brasil e ao serviço de streaming Twitch; além da Microsoft, visava excluir o canal do grupo do YouTube.

Ademais, durante a mobilização, entre os inúmeras pedidos aos influenciadores e jornalistas internacionais, os gamers conseguiram que Mark Hamill, o Luke Skywalker de Star Wars, denunciasse o canal. Dessa forma, isso foi possível graças à um tutorial e evidências com legendas em inglês enviadas ao ator.

Confira abaixo:


Denunciei isso“, afirmou o ator em seu perfil.

Após isso, o ator ainda seguiu o pedido de um dos fãs e tuitou a tag #YoutubeApoiaRacismo, acompanhada da bandeira do Brasil e da bandeira da causa LGBTQ+:


Leia mais: Maratona de Will Smith no canal Space

No entanto, essa não é a primeira vez que Hamill usa seu Twitter para atender pedidos de seguidores brasileiros. O ator já havia se manifestado algumas vezes durante paredões do BBB20, e também postou “Vamo Grêmio” em seu plataforma. Ambas as vezes colocaram o nome de Hamill nos Trending Topics da rede social.

Então, como resultado no caso da denúncia ao agora grupo XMG, Hamill foi acompanhado de outras personalidades internacionais. Além do ator, se manifestaram também a favor da campanha, nomes da comunidade gamer como Cory Barlog, diretor de God of War (2018), e o jornalista Jason Schreier, autor do livro Sangue, Suor e Pixels.

Consequências pós campanha

A mobilização da comunidade gamer contra o agora ex-grupo Xbox Mil Grau vêm após acusações de um dos participantes ironizar os protestos que estão ocorrendo nos EUA, causados pela morte do ex-segurança negro George Floyd por um policial branco, através de um meme considerado racista. Outrossim, a campanha repercutiu e fez com que a Microsoft exigisse a remoção da palavra “Xbox” do nome do grupo, para reforçar que não há conexão com a marca. Além disso, também resultou no banimento do canal na Twitch.


Depois disso, o YouTube também se posicionou. E nesta sexta-feira (05) confirmou que removeu conteúdos do canal XMG por violações das diretrizes da plataforma.

Ainda mais, no Twitter, o YouTube divulgou a suspensão permanente do canal do seu programa de parcerias, após diversas denúncias de usuários. Aliás, o Programa de Parcerias do YouTube é o meio pelo qual os criadores de conteúdo podem receber dinheiro com seus canais.


Repercussão

A mobilização contra o grupo já vinha sendo feita a algum tempo por conta de seus vídeos.


No entanto, a mobilização de usuários do Twitter contra conteúdos do XMG ganhou força mesmo no último sábado (30), após Henrique Martins, streamer e administrador do canal, compartilhou uma imagem que associa uma foto dos protestos antirracistas que acontecem nos Estados Unidos, motivados pela morte de George Floyd, à uma foto de Bob Behnken e Doug Hurley, astronautas brancos da missão Demo-2, da SpaceX, lançada no sábado.

Ademais, junto à imagem, a postagem traz os dizeres “o que pessoas negras estão fazendo hoje” e “o que pessoas brancas estão fazendo hoje”. “Vai dar choro ou não?”, questionou Martins no conteúdo publicado.Veja abaixo:


Publicação no Twitter de integrante da XMG. (Foto: Divulgação/ Twitter/ The Enemy)


Em suma, por conta da postagem, o perfil de Martins chegou a ser temporariamente suspenso do Twitter, mas foi liberado na sequência.

Por: Jonathan Rosa 

(Foto Destaque: Ator Mark Hamill. Reprodução/ IMDb/ The hollywood reporter)

Related Article

0 Comentários

Deixe um comentário