Apesar da fala da epidemiologista, Maria van Kerkhove, a OMS afirmou que assintomáticos e pré-sintomáticos transmitem sim o coronavírus

Na terça feira (9), a OMS (Organização Mundial de Saúde) precisou divulgar uma nota esclarecendo a fala da epidemiologista e líder do programa de emergências da OMS, Maria van Kerkhove. Em uma coletiva de imprensa, van Kerkhove disse que a transmissão do novo coronavírus por pacientes assintomáticos, parece ser “rara”. Assim, o seu discurso começou a ser usado para desencorajar o isolamento social e minimizar o gravidade da pandemia.



Leia mais: Aumenta doadores de sangue que tiveram contato com coronavírus

Por isso, a OMS divulgou uma nota afirmando que a fala da epidemiologista foi mal colocada. Além disso, deixou claro que a transmissão do vírus por assintomáticos acontece sim. Contudo, ainda existem incertezas sobre as taxas de transmissão.

O que são pessoas assintomáticas?

Maria van Kerkhove fez um esclarecimento pelas redes sociais que estava se referindo às pessoas assintomáticas. Ou seja, aquelas que estão contaminadas com a COVID-19 mas que não apresentam nenhum tipo de sintomas, como falta de paladar ou febre. Aliás, a forma de aparição da doença é própria de cada organismo. De toda forma, a OMS afirmou que a fala foi imprudente já que ainda não há um consenso.

Pré-sintomáticos

Além do grupo dos assintomáticos, ainda existem os pré-sintomáticos e os sintomáticos. Assim, os pré-sintomáticos são aqueles que não aparentam estar doentes no início, então, não tem sintomas. Contudo, com o avanço da doença, os sintomas aparecem.

De acordo com o documento citado por Maria van Kerkhove, pessoas que desenvolvem futuramente os sintomas têm maior carga viral na fase pré-sintomática. Dessa forma, tem um maior potencial de disseminação do vírus.


Como portadores de coronavírus infectam outras pessoas. Foto: (NUPEM/UFRJ/Reprodução)


Uma pesquisa da UFRJ mostrou que os pré-sintomáticos são os que mais contaminam. Portanto, 45% das infecções acontecem por transmissores antes de apresentarem sintomas. Isso acontece porque essas pessoas continuam a circular normalmente, acreditando que não estão contaminados, sendo que a carga viral é de mesma potência das pessoas que apresentam sintomas.

Por: Isabella Vasconcelos

(Foto Destaque: Mulher tossindo. Reprodução/ Annie Spratt)

Related Article

0 Comentários

Deixe um comentário