Até agora, a mãe dos filhos do apresentador teve todos os seus pedidos negados na justiça

De acordo com o site UOL, Rose Miriam di Mateo perdeu mais uma batalha judicial contra a família materna de Gugu Liberato. A médica busca contestar o testamento do apresentador, que morreu ano passado em um acidente doméstico. Ela também quer o reconhecimento de uma união estável com o apresentador, além de 75% da herança deixada por ele. Até o momento, no entanto, todos os seus pedidos foram negados.



Leia mais: Suposto namorado de Gugu Liberato entra na briga por herança

Rose Miriam e o filho mais velho João Augusto (Foto: O Globo/ Rafael Cusato)

Rose Miriam e o filho mais velho, João Augusto, no velório de Gugu (Foto: O Globo/ Rafael Cusato)


Na decisão dessa quinta-feira, o desembargador Galdino Toledo reafirmou os direitos dos herdeiros do testamento deixado pelo apresentador. Ele também negou o mais novo pedido de bloqueio dos bens do inventário de Gugu. Toledo identificou um conflito de interesse entre Rose e os filhos. Na opinião dele, a mãe está reclamando a parte dos filhos na herança. O juiz também compreendeu que o contrato entre Rose Miriam e Gugu não indica intenção de viverem como um casal.

O testamento

O testamento contestado por Rose foi assinado em 2011. Segundo o documento, a maior parte dos bens de Gugu fica para os filhos, e o restante será dividido entre os sobrinhos do apresentador. A mãe de Gugu, receberá uma pensão vitalícia. Enquanto irmã dele, Aparecida Liberato, foi nomeada como inventariante e curadora de suas duas filhas menores de idade, Marina e Sofia.

Rose Miriam, Gugu e os filhos do casal

Rose Miriam, Gugu e os filhos do casal: João, Marina e Sofia. (Foto: Reprodução/Internet)


Rose Miriam não fica sem nada. De fato, ela tem direito a uma casa no valor de R$ 6 milhões e US$ 500 mil em ações de um time nos EUA. Além disso, a médica deve receber uma pensão de cerca de US$ 10 mil mais os gastos da casa mantida em Orlando.

Procurada pelo UOL, a defesa de Rose afirmou que o “desembargador analisou o recurso de forma superficial”. E o recurso ainda deve ser julgado por mais três desembargadores na 9ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo.

Carlos Regina, advogado dos herdeiros de Gugu, também foi contatado. Em nota, ele afirmou que “tudo seguirá conforme previsto no testamento de Gugu”.

 

Por Eleonora Barros

Related Article

0 Comentários

Deixe um comentário