Depois do controle do vírus, Pequim teve 79 novos casos confirmados

No início de junho, em 4 dias, 79 pessoas foram diagnosticadas com o novo coronavírus, em Pequim na China. A doença já havia sido controla no país. Assim, para evitar que o vírus se espalhasse pela cidade novamente, o governo tomou providências. Portanto, parte da zona sul da cidade entrou em lockdown.



De acordo com pesquisas, todos os novos casos estão ligados a um lugar específico: o mercado de Xingado, localizado na zona sul de Pequim. Sendo assim, um dos maiores mercados da capital e responsável por 70% do abastecimento de vegetais, foi fechado e está sendo desinfectado. Ademais, o governo está monitorando 111 pessoas que estiveram no local ou tiveram contato com as pessoas infectadas. As 111 pessoas estão isoladas em um hotel.

Leia mais: Corticoide pode ser eficaz contra o coronavírus


Pequim. (Foto: Reprodução/ zhang kaiyv)


Além disso, para evitar o avanço do vírus, 10 bairros da zona sul entraram em quarentena. Aliás, o governo também instalou alguns pontos que checam a temperatura, controla a movimentação de pedestres e higieniza as vias públicas. Outra medida do governo é a testagem em massa. Pequim deve testar 90 mil pessoas. Dessa maneira, rastrear o vírus e não permitir que outra onda de infecção ocorra.

Moradores da região só poderão visitar familiares e amigos que outras zonas com justificativa plausível. Dessa maneira, a mesma regra é válida para aqueles de fora que querem ir até a zona sul.

O que está acontecendo com Pequim é um surto esporádico. Diversos especialista afirmaram que isso vai acontecer em países que estão voltando a abrir comércios e liberar a circulação de pessoas. Assim, é importante que haja uma resposta rápida e eficiente que controle os surtos. Desse modo, evitando uma nova onda da COVID-19.

Por: Isabella Vasconcelos

(Foto Destaque: Coronavírus. Reprodução/ Markus Spiske)

Related Article

0 Comentários

Deixe um comentário