Vingadores Ultimato chegou aos cinemas no dia 25 de abril de 2019

O filme “Vingadores: Ultimato”, foi o primeiro na história dos cinemas a esgotar todos os ingressos apenas em sua pré-estreia. A ousadia da Marvel Studios de reunir um time de heróis nas telonas garantiu o sucesso de bilheteria.



De fato, ver todos os heróis que há anos acompanhamos, numa mesma cena era de arrepiar-nos. Nessa “Semana Marvel”, quando celebramos um ano de estreia do filme Vingadores: Ultimato, estamos resgatando fatos imprescindíveis sobre nossos heróis. Dessa vez, vamos relembrar alguns episódios de Hulk, o “cara grandão todo esverdeado e sempre com raiva”.

Leia mais: Um ano de Vingadores Ultimato: relembre a história complicada e obscura de Viúva Negra

O Incrível Hulk protagonizado por Edward Norton. (Foto: Reprodução/Marvel Studios)


A criação, o nome e a inspiração

Então, o lendário Stan Lee e seu amigo Jack Kirby criaram Hulk em meados de 1962. Stan Lee queria algo que se diferisse do Quarteto Fantástico e do Homem-Aranha. Até porque de um lado ele tinha um time de heróis, familiar e etc. De outro, ele tinha um adolescente e seus dramas.

Assim, ele queria fugir um pouco desses conceitos. Pensou num protagonista dotado de força sobre-humana, mas amante da tecnologia, criativo e inteligente. Além disso, esperava que o herói lembrasse tanto o Monstro de Frankenstein quanto Dr. Jekyll e o Sr. Hyde (de o médico e o monstro). Daí, veio a inspiração.

Por fim, das páginas de uma clássica literatura nasceu a ideia de um cientista que, de alguma forma, se transformava em monstro. Essa criatura seria grande, volumosa, meio desajeitada e não muito esperta. Kirby e Stan Lee não tiveram dúvidas quanto ao nome: Hulk, que se refere, em sua língua de origem, a algo grande, bruto e monstruoso.

O Incrível Hulk, HQ de 1962. (Foto: Reprodução/Marvel Comics)


O arco de Hulk inicia-se a partir de um experimento laboratorial

Enfim, depois de criado, Stan Lee precisava construir o enredo que iria apresentar o novo herói ao mundo. Então, o Dr. Robert Bruce Banner era um cientista do governo norte-americano, cujo trabalho era desenvolver uma poderosa bomba gama. Cientista nuclear, altamente reconhecido, foi recrutado para “apimentar” a guerra.

Porém, durante um teste no deserto de seu novo invento, o cientista percebeu que um jovem (Rick Jones) invadiu o local e encontrava-se próximo demais da bomba que em breve iria ser detonada. Banner pede para que fosse adiada a contagem da explosão. Sem atenderem seu pedido ele corre para salvar o menino. Banner dirige-se para o local e consegue lançar o jovem em uma trincheira, mas é atingido pela explosão.

No entanto, Banner sobrevive. Mas ao cair da noite, transformou-se em um estranho monstro cinza, que logo deixou claro à que veio. Destruiu tudo em seu caminho. Quando o dia raiou, Banner voltou ao normal. Logo após, ele descobre que momentos de tensão fazem com que ele se transforme em um poderoso monstro e dono de imensa força.

Contudo, essa criatura é caçada pelo exército e, mesmo quando enfrenta ameaças inimigas, tem suas ações mal compreendidas e é considerado perigoso pelo governo norte-americano.

Hulk em Vingadores. (Foto: Reprodução/Marvel Studios)


O início e sua aparição no MCU

A saber, Hulk passa a se tornar um personagem de primeiro escalão da Marvel. Torna-se um dos fundadores da equipe Vingadores e, atuou até junto dos Defensores. A ideia inicial de Stan Lee seria que Hulk teria sua cor em tons de cinza. No entanto, por erros de impressão, o herói apareceu em tons de verde. A cor agradou e acabou ficando.

Então, “O Incrível Hulk”, como ficou conhecido, teve sua primeira HQ. No entanto, o longa de mesmo título, dirigido por Louis Leterrier de 2008 é o que cunhou a entrada do herói na linha temporal do MCU. Outras versões cinematográficas do herói não entram aqui. Nesse caso, o herói agora entra na cronologia da Saga do Infinito. Esta consiste na Fase 3 de reunir as Jóias do Infinito.

Entretanto, o longa trouxe Edward Norton no papel principal. No mesmo, o roteiro não segue muito a história original. Benner não estava na guerra junto aos americanos, e não tinha um esposa, mas possuía um sentimento carinhoso por Betty Ross (Liv Tyler), a filha do general Ross (William Hurt). O longa confunde um pouco a história do grandalhão esverdeado e, coloca o cientista numa busca tensa pela “cura”.

Poster dos Vingadores. (Foto: Reprodução/Marvel Studios)


“Hulk esmaga!”

Certamente, o seu jargão “Hulk esmaga” é um fato fantástico nas HQs. Nas aventuras de Hulk, vemos o grandalhão junto de Thor e do Coisa, do Quarteto Fantástico. Parece um time perfeito. Quando Benner se transformava, o monstro verde não era bom na dicção e nas palavras. As únicas palavras que ele passou a expressar foi “Hulk esmaga!”.

Embora o auge do herói nos cinemas ter sido em seu encontro com os Vingadores de 2011, Benner não teve uma franquia de respeito. Portanto, apenas “O Incrível Hulk” foi possível de se adequar nessa linha temporal.

Todavia, o contexto no qual o herói é apresentado no longa consegue vender com maestria sua história. Agora, com a atuação de Mark Ruffalo o monstro verde ganharia, de fato, um arco de respeito. Já de cara, o roteiro o coloca numa espécie de relação com Natasha Romanoff, a Viúva Negra.

Vingadores: Ultimato, Hulk/Dr. Bruce Benner (Mark Ruffalo). (Foto: Reprodução/Marvel Studios)


Filmografia no MCU

Enfim, depois de “O Incrível Hulk” o herói é introduzido no time dos Vingadores em 2011 e em “Vingadores: Era de Ultron” de 2015, dirigidos por Joss Whedon. Depois disso a história do herói meio que é banida da Terra. Óbvio que antes disso, os cinemas apresentaram outras versões do herói. No entanto, com o Universo Estendido, os demais projetos são banidas dessa cronologia.

Hulk reaparece na franquia do deus do Trovão. O esplêndido trabalho de Taika Waititi em Thor: Ragnarok ganha a missão de trazer de volta para as telas o grandalhão esverdeado. Hulk reaparece num outro planeta. Onde, “tem um emprego” numa arena de lutas esportivas para deleito do público. Thor (Chris Hemsworth) o encontra nesse planeta e o leva consigo para Asgard afim de destruir a vilã Hela (Cate Blanchett).

Enfim, em Ragnarok o público se depara com um Hulk que agora fala. E, que, talvez, até pensa. A versão verde ganhou o controle do Dr. Benner. E, agora, Hulk não era Hulk só enquanto se enfurecia, mas, é Hulk sempre. Thor o ajuda a recuperar “os sentidos” e, ao ouvir uma gravação da “Nat”, (Natasha), Benner recupera o controle.

Vingadores: Ultimato. Poster individual. (Foto: Reprodução/Marvel Studios)


O futuro do herói pós Vingadores: Ultimato

Em Guerra Infinita e em Ultimato as coisas ficaram meio confusas para o herói. A crise de controle coloca Benner e Hulk num impasse cruel. Estava visível que uma repaginada no herói era necessária. Como isso iria ocorrer? Como Kevin Feige iria trazer o grandalhão verde para o carisma do público?

Enfim, a mais viável alternativa seria unir as mente e super-força. Assim foi feito. Hoje, temos um Hulk que é cientista. Uniram-se o melhor do Dr. Benner com o melhor do Hulk. O arco do personagem ainda não foi concluído.

Muitos rumores rondam sobre o futuro do personagem. Mas, ainda teremos que aguardar o que o MCU reserva para o Hulk. Provavelmente veremos muito dele no Disney+, nos projetos que estão em andamento. Suas HQs colocam o herói atualmente como um agente especial da S.H.I.E.L.D., a organização de defesa norte-americana.

Vingadores: Ultimato, poster não-oficial. (Foto: Reprodução/Pinterest)


Um ano de Vingadores: Ultimato

A saber, Vingadores: Ultimato, encerra o que ficou em aberto em Guerra Infinita. Segundo sinopse oficial: em Vingadores: Ultimato, após Thanos eliminar metade das criaturas vivas, os Vingadores precisam lidar com a dor da perda de amigos e seus entes queridos. Com Tony Stark (Robert Downey Jr.) vagando perdido no espaço sem água nem comida, Steve Rogers (Chris Evans) e Natasha Romanov (Scarlett Johansson) precisam liderar a resistência contra o titã louco. O longa de 25 de abril de 2019 encerra o arco do Thanos. Dirigido por Anthony Russo e Joe Russo.

Aliás, o filme foi líder de bilheteria, tirando do pódio, o sucesso de James Cameron “Avatar”. Mesmo com maior bilheteria mundial, o filme não teve grandes indicações ao Oscar. Concorrendo a apenas uma estatueta, o longa perde para os efeitos visuais para o trabalho de Sam Mendes com 1917.

Por: Dione Afonso

Imagem destaque: Hulk/Dr. Bruce Benner (Mark Ruffalo). (Reprodução/ Marvel Studios)

Related Article

0 Comentários

Deixe um comentário